Publicado por: marcospauloteixeira | Fevereiro 25, 2009

Somos julgados tristes, nós que estamos sempre contentes!Retiro

Nesse período de carnaval parece que alegria só existe nas escolas de samba, no blocos de Olinda e nas bebedeiras. A impressão que se tem é que ser de igreja é ser privado da alegria. Muito pelo contrário, se engana quem pensa assim! A TV não mostrou, mas esse ano o Brasil explodiu em retiros espirituais. Em todos os estados muitas paróquias, movimentos e comunidades fizeram grandes momentos de recolhimento e alegria. A Canção Nova, em Cachoeira Paulistas, fez uma grande festa que nenhuma festa do mundo pode superar em alegria. A comunidade Católica Shalom realizou em todas as suas missões no Brasil e no mundo o encontro “Renascer” que quem participou conferiu a tamanha alegria que brota do coração.

Aqui em Teresina, a RCC minou toda a cidade com os vários retiros chamados “Festival do Senhor”. Muitas paróquias fizeram retiros espirituais em chácaras e em fazendas com muitos jovens participando e com uma alegria que não termina na quarta-feira de Cinzas e sim se propaga por toda a vida.

Mas o pensamento de que somos retrógrados não é de agora, o próprio apóstolo Paulo já tinha percebido isso lá no século I: “Somos julgados tristes, nós que estamos sempre contentes…” (II Cor 6,10a).

Por que estamos sempre contentes? Que alegria constante é essa? Essa alegria é Cristo, pois ele mesmo nos prometeu: “…Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo.” (Mt 28,20).

O apóstolo Paulo também diz: “Tidos por impostores, somos, no entanto, sinceros, por desconhecidos, somo bem conhecidos…” (II Cor 6,9a). Nos chamam de impostores por não aceitarmos o uso de camisinhas. Ora, alguém já nos perguntou por quê? Ninguém nos pergunta, pois as pessoas tem medo de ouvirem uma resposta sincera. Por mais que seja suave e sincera, a verdade sempre incomoda. Nós temos muitas razões para não aceitarmos o uso de preservativos; motivos espirituais, morais e científicos (cf: https://marcospauloteixeira.wordpress.com/2008/12/13/da-pra-confiar-na-camisinha/). Quando o governo distribui preservativos para um jovem de 15 anos, ele está, de certa forma, incentivando uma pessoa que não tem condições de assumir a responsabilidade do seu ato, ou seja, uma possível gravidez, a iniciar num caminho sem volta. E se engravidar, o governo diz: aborte! Ora, é um ciclo vicioso. Muitos sonhos de infância são quebrados e despedaçados por uma iniciação sexual precoce. Tantas meninas que sonharam a vida toda em ser médica, advogada, engenheira etc, se vêem agora sem condições de prosseguir no sonho por ter que arcar com as responsabilidades de uma vida sexual precoce.

Parece que nós somos desconhecidos. Mas na verdade todos nos conhecem, pois nós somos a oposição ao mundo, a oposição ao pecado. Muitas que vivem na devassidão de orgias e falta de compromisso com Cristo, sabem que existe uma outra forma de viver a vida, e viver em abundância. Esse é o termo certo: VIVER EM ABUNDÂNCIA! Essa é a novidade de Cristo. Uma vida que não se acaba no final da festa!

“… por condenados e, no entanto, estamos livres da morte.” (II Cor 6,9b). A mentalidade do mundo que é propagada na mídia, mostra-nos como condenados ao claustro, condenados a uma igreja vazia e escura… mas não poderia ser diferente, essa é estratégia do inimigo de Deus, mostrar o bem como se fosse mal, mas no entanto nós estamos livres e livres da morte. O pecado quando toma posse da vida do homem, torna-se o seu senhor e as suas ações são voltadas para a sua satisfação. Apesar de parecer um homem livre ele não tem condições de escolher o bem. É escravo do seu próprio pecado!

Nós, porém, somos livres para dizer sim à Deus! Somos considerados pessoas que perdem de viver a vida por não possuírem alegria das festas devassas, mas ao contrário do que se diz no mundo, São Paulo nos fala:“…sem posses, nós que tudo possuímos!”(II Cor 6,10c).

Uns dizem que quem não pula o carnaval no mundo não tem história pra contar. Nós católicos, além de termos muita história para contar temos uma história que não precisa ser esquecida. Uma história de amor e eternidade!

 Marcos Paulo


Responses

  1. Parabéns Marquinhos pelo artigo. Que Deus o abençoe irmão!

    De fato, precisamos reavivar a alegria de sermos filhos eleitos e amados. Shalom.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: