Publicado por: marcospauloteixeira | Janeiro 17, 2010

LAMENTAVELMENTE, O CFM É FAVORÁVEL AO ABORTO DE ANENCÉFALOS

LAMENTAVELMENTE, O CFM É FAVORÁVEL AO ABORTO DE ANENCÉFALOS

O Conselho Federal de Medicina (CFM), em audiência pública na Câmara do Deputados, realizada no dia 10 de dezembro, voltou a se manifestar de forma favorável à interrupção da gestação de fetos anencéfalos.

De imediato, pensa-se: para que permitir que uma mãe sofra nove meses por um filho que não conseguirá sobreviver?

Bom, então vamos colocar pontos nos “I”s.

O que quer dizer anencefalia? Significa ausência do encéfalo. Mas o feto anencéfalo nasce sem o encéfalo, CERTO?

ERRADO! Sem o encéfalo ele nem nasceria!

Como nós sabemos, o encéfalo é composto pelo cérebro, cerebelo e tronco encefálico (bulbo, ponte e mesencéfalo). Os bebês anencéfalos, embora não tenham cérebro, ou boa parte dele, têm o tronco cerebral funcionando. O tronco encefálico é responsável pelo controle de importantes funções orgânicas como a respiração, o ritmo dos batimentos cardíacos e de reflexos como a deglutição, o vômito, a tosse e o piscar dos olhos.

Veja o que diz o comitê de Bioética do governo Italiano: “na realidade, define-se com este termo uma má-formação rara do tubo neural acontecida entre o 16° e o 26° dia de gestação, na qual se verifica ‘ausência completa ou parcial da calota craniana e dos tecidos que a ela se sobrepõem e grau variado de má-formação e destruição dos esboços do cérebro exposto”.

Há aqui uma grande questão: EXISTEM GRAUS VARIADOS DE MÁ-FORMAÇÃO.

Então pergunto: Qual medida para se considerar que uma criança é anencéfala? Será o giro sagital superior faltando? Será o lobo temporal direito faltando? Ou será a ínsula (escondida lá no meio dos hemisférios cerebrais)? Não existe resposta pra isso!

É como diz o advogado e padre presidente do Provida de Anápolis Dr. Luiz Carlos Lodi: Calvice é ausência de cabelos. Mas será que os calvos não tem cabelos? Isso vale para anencefalia. Será que todos os anencéfalos não tem cérebro?

Logo, o termo anencefalia é impróprio para a questão. Tenho certeza que ele é usado para confundir as mentes mais desatentas.

Bom, da mesma forama que existem vários graus de anencefalia, também a sobrevida dessas crianças pode variar muito. Sabemos que ela pode morrer ainda no útero materno, pode sobreviver alguns minutos fora do útero como Maria Vida (Teresópolis-RJ), vinte horas como Tales (Brasília-DF), quatro dias como Pedro (Niterói-RJ), três meses como Maria Teresa (Fortaleza-CE) ou 1 ano e 8 meses como Macela (Franca-SP) que faleceu  em 01/08/2008.

Na audiência pública, a representante do Instituto de Bioética, Direito Humano e Gênero (Anis), Janaína Penalva, disse que as gestantes que enfrentam esses problema relataram, em entrevistas concedidas à ONG “se sentem produzir a morte”.

Mas não é isso que sente a mãe de Macela que viveu 1 ano e 8 meses nessa foto:

Já cheguei a ouvir absurdos como: “mas a criança anencéfala é muito feia”. Ora, nunca ouvi algo tão nazista na minha vida! Então vamos matar o ET do programa do GUGU, o Marquito do Programa do Ratinho e o Salsichão do Zorra Total por não terem beleza? Vou poupar mais comentários sobre essa idiotice!

O próprio CFM já havia afirmado que o anencéfalo é um natimorto cerebral, no entanto Marcela reagia a todos os estímulos nervosos. Mamou no peito durante a primeira semana de nascida e sua mãe  Cacilda e sua irmã Débora dão testemunho que ela chega a sorrir.

Um dos testemunhos mais emocionantes está a visita de uma mãe, que tinha abortado um filho anencéfalo, à Marcela. Conta D. Cacilda que está mulher ficou profundamente emocionada e arrependida.

Um dos grandes absurdos já ocorridos na sociedade brasileira foi o caso de Manuela Teixeira (Sobradinho-DF), que teve seu aborto recomendado por uma promotora. O diagnóstico era ACRANIA, ou seja, ausência de Crânio. A idéia dos médicos eram adiantar o parto para que a Criança morresse ao sair. Mas não foi isso que aconteceu!

A criança teimava em não morrer. A mãe aflita, pediu para amamentar e foi negado. Porém a criança não morria. Manuela nasceu com 1780g e não tinha ausência total do Crânio, como os médicos previam.

O mais impressionante é que parte do crânio não existia, mas existia o cérebro e este estava exposto! Contrariando as expectativas, Manuela viveu mais de 3 anos e morreu em 14 de setembro de 2003. Foi sepultada como um ser humano no Cemitério de Brazlândia-DF.

Sua mãe Gonçala diz que Manuela vibra todas as vezes que se dá o leite da tarde. Sei que ela me reconhece. Se ouve minha voz, começa a se mexer’’ diz Gonçala.

Para o assessor jurídico da OAB, Oswaldo Pinheiro Júnior, é preciso afastar os aspectos religiosos e morais e preservar a dignidade humana e os direitos da mulher.

Que frase linda não é? Eu fico puto com essas hipocrisias!!

Como afastar os aspectos éticos, morais e religioso de uma sociedade que foi gerada pelo Cristianismo? Isso é um absurdo!! As noções de direitos humanos, amor ao próximo e ética foram nos dadas pela civilização cristã. Então como afastar os nossos valores diante de tamanha decisão?

Falar no aborto como um DIREITO HUMANO é o mesmo que  PROSTITUIR o significado dessa palavra. A falácia também usada como direitos da mulher pode ser usada contra ela mesmo, pois Manuela também era mulher. E agora?

Será que quanto mais velha a mulher mais direito ela tem?

Então por que querem legalizar a eutanásia para matar as mulheres velhinhas??

Vejam que, ao contrário do que o Dr. Oswaldo Pinheiro falou, não se pode afastar os aspectos religiosos e morais da sociedade.

Mas tenho uma solução pro Dr. Oswaldo: Vai morar em Cuba!!!

Na mesma audiência da Câmara dos Deputados, a representante da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), Lenise Garcia e Jaime Ferreira Lopes (representante do Conselho Nacional de Pastores do Brasil), se colocaram de forma contrária. Eles temem que a anencefalia seja apenas uma brecha na justiça para se estender o aborto a outras deficiências. “Tem países que já autorizaram o aborto de portadores de síndromes, como a Down”, disse Lopes. Para Lenise, os portadores de anencefalia, crianças com expectativa de sobrevida pequena, no entanto não estão mortas.  “São cidadãos com certidões de nascimento e óbito”.

Os sinais de vida de um anencéfalo

Disponível em http://www.providaanapolis.org.br

Os sinais de vida de um anencéfalo

Vale a pena transcrever aqui um trecho de um manual de “Neurologia Infantil” de autoria de ARON DIAMENT  e SAUL CYPEL , descrevendo a anencefalia:

A MF consiste na ausência ou formação defeituosa dos hemisférios cerebrais pelo não fechamento do neuroporo anterior […]. Geralmente, a criança nasce fora do termo, às vezes com poliidrâmnios  e seu período de vida é curto: dias ou até poucas semanas, como já vimos em alguns casos  […]. Responde a estímulos auditivos, vestibulares e dolorosos. Apresenta quase todos os reflexos primitivos dos RN. Além de elevar o tronco, a partir da posição em decúbito dorsal, quando estendemos ou comprimimos os membros inferiores contra o plano da superfície em que está sendo examinada (manobra de Gamstorp).

Sobre o anencéfalo recém-nascido, assim se pronuncia Eugene F. Diamond, M.D, Professor da “Pediatrics Loyola University Stritch School of Medicine”:

O anencéfalo não é de fato ausente de cérebro, uma vez que a função do tronco cerebral está presente durante o curto período de sobrevida. Muito pouco se conhece sobre a função neurológica no recém-nascido anencéfalo. Um recente estudo em profundidade indica que eles estão funcionalmente mais próximos dos recém-nascidos normais do que de adultos em estado vegetativo crônico [grifo nosso].

Acerca da consciência do anencéfalo, vale a pena transcrever o seguinte trecho do já citado documento do Comitê de Bioética do Governo Italiano:

O encéfalo do recém-nascido parece hoje comparável cada vez menos a um cérebro adulto em miniatura, principalmente pelas funções da consciência e do contato com o ambiente, e cada vez mais comparável a um órgão em formação com potencialidades variáveis. A perda ou a falta de uma parte do cérebro durante a fase de desenvolvimento não é comparável à perda da mesma parte depois que o desenvolvimento tenha-se acabado completamente.

Essas considerações têm particular relevo na avaliação das capacidades do anencéfalo.

Não se trata, obviamente, da possibilidade por parte do tronco de suprir as funções do córtex faltante, mas de admitir que a neuroplasticidade do tronco poderia ser suficiente para garantir ao anencéfalo, pelo menos, nas formas menos graves, uma certa primitiva possibilidade de consciência. Deveria, portanto, ser rejeitado o argumento que o anencéfalo enquanto privado dos hemisférios cerebrais não está em condições, por definição, de ter consciência e provar sofrimentos  [grifo nosso].

No mesmo sentido posiciona-se Dr. Rodolfo Acatauassú Nunes, Professor Adjunto do Departamento de Cirurgia Geral da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Mestre e Doutor em Cirurgia Geral – setor Torácico pela UFRJ e Livre-Docente em Cirurgia Torácica pela UFERJ:

A questão dessas crianças manterem ou não algum tipo de relacionamento com o mundo exterior ou experimentarem sensações, mesmo na ausência total ou na presença de apenas resquícios dos hemisférios cerebrais, tem sido objeto de controvérsia pela possibilidade da ocorrência de um certo grau de neuroplasticidade vertical a partir de estruturas encefálicas remanescentes. Este fenômeno é tanto mais importante quanto mais precoce ocorre a malformação – no caso da anencefalia, ainda no primeiro mês -, já que as possibilidades de um rearranjo no encéfalo em formação são bastante diferentes de um encéfalo adulto, onde existem maiores limitações (SHEWMON, 1988 e SHEWMON e col. 1989). Através deste mecanismo poderiam ser explicadas certas descrições de mães que, acompanhando crianças com anencefalia, dizem perceber algum tipo de interacão com seus filhos durante a gestação ou após o parto, e que classicamente têm sido atribuídas a meros reflexos.

Um produto desta controvérsia foi a rápida mudança de posição do Conselho de Ética da Associação Médica Americana (AMA) em 1995, quanto à autorização ética da retirada de órgãos de uma criança nascida viva com anencefalia (FIRSHEIN, 1995). Na ocasião, a autorização baseava-se na assertiva que essas crianças nunca experimentaram e nunca experimentariam uma consciência. Entretanto, pouco tempo depois, e pela primeira vez em sua história, a AMA reconsiderou sua posição, voltando a proibir a doação de órgãos fora dos padrões aceitos internacionalmente para a morte encefálica, posição que persiste até hoje. Na ocasião de sua reconsideração conclamou à comunidade científica a realizar mais estudos a fim de esclarecer o verdadeiro estado da consciência nesses indivíduos (PLOWS, 1996). Também recentemente alguns autores trabalhando com Ultrasonografia 4D (ANDONOTOPO e col, 2005) e Ressonância Nuclear Magnética (CALZOLARI, 2004) têm lançado apelos para a realização de mais estudos nos fetos e crianças vivas com anencefalia com o intuito de melhor compreender a neurofisiologia desta afecção. Quem sabe o cerebelo, porção do encéfalo anteriormente ligada quase exclusivamente ao equilíbrio e agora também relacionada à cognição e emoção humana (SCHMAHMANN, 2002), poderia ter algum papel na criança com anencefalia? Alguns estudos têm mostrado a possibilidade de um razoável grau de desenvolvimento cerebelar em certas crianças com anencefalia (LOMHOLT e col., 2004 e VUKELIC e col., 2001).

Podemos terminar este item transcrevendo a conclusão do Comitê de Bioética do Governo Italiano, totalmente oposta à Resolução 1.752/2004 do CFM brasileiro:

O anencéfalo é uma pessoa vivente e a reduzida expectativa de vida não limita os seus direitos e a sua dignidade.
A supressão de um ser vivente não é justificável mesmo quando proposta para salvar outros seres de uma morte certa.

*************************

Penso que não podemos considerar a dignidade Humana à sua capacidade produtiva,  logo o anencéfalo e o idoso, por direito universal, estariam incluídos para sempre no, tão falado, DIREITOS HUMANOS.

Marcos Paulo 


Responses

  1. Parabens pelo texto e pela clareza com que conseguiu explicar a situaçao.

    • Parabens….. Pelos relatos….. Dia 09/02/10 tive meu 1° filho e ele tinha acrania, infelizmente faleceu, mas tive a honra de sentir todos seus movimentos até os 9 meses e agradeço a Deus mto por isso…

  2. Parabéns, belo texto. Expressa claramente o ponto de vista do autor. Embora um tanto quanto extremista, talves devido a complexidade do tema proposto que é preferivelmente discutido por extremistas radicais e com visões absurdamente controversas e injustificaveis. Talvez esse seja o mal, nos debates, sempre com figurões de opniões paradigmáticas e justificativas futilmente pessoais e sem vivencia do assunto, nunca ocorre em acordo. Se faz necessário a imparcialidade de pessoas não extremistas e isentas de disturbios de personalidade, mas… que quer sujar as mãos? Respeito seu ponto de vista, mas discordo, em partes, das justificativas.
    Caso seja possível, gostaria de saber qual o real propósito deste texto.
    Marcelo
    Biologista Molecular

    • Opa Marcelo. Obrigado pela visita ao blog.

      Estava aqui tentanto entender o “real propósito” do seu comentário. No início vc me parabeniza e depois tenta alegar que minhas exposições são extremistas, radicais e injustificáveis. Vc escrever que se faz necessário a imparcialidade no assunto. Te pergunto: Existe alguém imparcial? Agora em relação a distúrbio da personalidade eu talvez entenda mais que vc, pois isso faz parte da minha área. Mas, dificilmente alguém com tais distúrbios se interessarar por tal assunto.
      Pra vc é sujar as mãos entrar numa discussão dessas?

      Não digo real propósito, mas o único propósito desse texto é defender a vida em todas as suas fragilidades, pois entendo que não é a presença de todos os órgãos que traz dignidade ao ser humano e sim o fato de ser pertencente a espécie humana e ser filho de Deus.

  3. Já está mais que na hora de ter-se a opção do aborto em qualquer circunstância, pois já existe ser humano demais no mundo. A proibição do aborto humano é tendencioso e hipócrita, todo mundo come ovos de várias aves, muitas vezes já fecundado e acha uma delícia, esquecendo que isso se trata de um aborto. Mas como não é um ovo humano, tudo bem não é? Segundo o cristianismo as outras espécies estão aqui para nos servir mesmo. Isso me cheira a hipocrisia.

    O ser humano virou uma praga, as pessoas reclamam da falta de boas condições de vida, do excesso de pessoas com fome, etc. exigindo que o governo tome providência e esquece que já não há mais providências a se tomar que resolva o problema da superpopulação humana e da extinção das outras espécies. Como se o ser humano, por ter uma consciência maior de sua existência são os únicos que merecem o direito a qualquer custo à vida. As pessoas só defendem a vida quando a relaciona a si mesmo ou à própria espécie.

    Claro que a prioridade seria a anticoncepção, até porque né bem menos custoso e menos arriscado. mas enquanto as pessoas não tiverem a consciencia de evitar os filhos, procurar ter no máximo um por gerações para que a população humana diminua gradativamente, o jeito é permitir que cada um use a sua consciência para decidir se quer ou não abortar uma gestação. Mas nãããão, “a vida é muito bela, sagrada, bla bla bla” é bela pra quem tá na boa, tem condições de deixar outros seres humanos com fome enquanto alimenta a si e a sua enorme prole, mais uma vez, hipocrisia das mais finas.

    Enquanto o ser humano se achar o bicho mais especial do universo e que o universo foi criado todo pra atender suas vontades egoístas, a coisa so tende a piorar.

    Vou colocar esse texto em outros lugares também, pois sei que ele será apagado mesmo.

    • Nunca vi uma justificativa tão fraca, baixa e sem fundamento… vc está preocupado com os pintinhos? Sim, as outras espécias são inferiores sim aos seres humanos! Apenas os seres humanos tem alma humana dada por Deus, apenas o ser humano é imagem e semelhança de Deus. Se devemos preservar a natureza, não é porque os outros animais são iguais a nós, mas pq devemos preservar a criação de Deus.
      O problema da superpopulação não se resolve com o aborto! Aliás, será que o problema é a superpopulação mesmo ou a grande concentração de renda nas mãos de poucos? Será que o problema não está nos desvio de verbas e na falta de justiça por parte das nossas autoridades?

      Mesmo com o aborto em massa, ainda sim teremos pobre entre nós… NÃO SE ILUDA!

      • Que merda. Deus não existe, não dá pra pensar em preservar a vida ser pensar na maldita religião? Os outros animais não são inferiores, são até superiores a nós que os matamos desnecessariamente e matamos nossos próprios filhos. Ovos não são pintinhos, mas matar galinhas é errado, é como matar pessoas. Se existe gente em condição de miséria é porque o ser humano não sabe preservar nem a própria espécie, nunca vi um animal tão inútil! E ainda por cima tem que ficar inventando um “homem no céu” para justificar a burrice.

      • Dá pra perceber que seu referencial de verdade é você mesmo. Mesmo vc não tendo capacidade intelectual pra compreender, Deus continua existindo.

  4. Aborto sempre existiu e sempre vai existir ele é um processo natural, ele é feitos por varios povos, o que marca neste evento é “quem decide, porque decide”, alguns povos porque tem pouca comida na tribo, outros porque aquele ser vai trazer desgraças, sÃO varios os motivos, o aborto é tão velho quanto a vida.
    A diferença sempre sera quem decide e porque, sendo que a mãe deve ter muito apoio em sua decisão, oque no final importa sera sempre a intenção nada é totalmente mau e nada é totalmente bom.
    Neste caso lí que existem vários graus de anaencefalos, isso deve ser esclarecido as mamães, para que elas possam decidir se serão capazes de conviver e amar seus filhos neste espaço de sobre-vida.

    • Lúcia,
      o que é o seu sempre?
      E outra, se um crime existe em todos os povos há muito tempo é motivo de legalizá-lo?
      Então vamos legalizar o assassinato, pois já existe há muito tempo, desde Caim e Abel.

  5. “Foi apenas em 1869 que a Igreja Católica declarou que a alma era parte do feto desde a sua concepção, transformando o aborto em crime.”

    Quiz dizer que são se pode generalizar, existem pessoas que não tirariam um fruto de estupro, por isso depende da vontade da mãe, seguindo teu exemplo do assassinato, tem países que possuem a pena de morte.
    Quiz dizer que de nada adianta um ser vir ao mundo sem o amor de seus pais.

    Ninguém gosta de fazer um aborto, e quem fez não gostaria de fazer de novo, acredito que isso não é a causa de um problema e sim consequência,

    • Lucia, em quais fontes vc se baseia?

      Vc afirma que a Igreja Católica transformou o aborto em crime apenas em 1869?

      Não, vc está enganada.
      É um tema delicado e vasto, mas veja bem: A Igreja Católica sempre foi contrária ao aborto.

      Vou mostrar alguns posicionamentos:

      1 – Didaqué (primeiro catecismo cristão)- ano 90-100 d.C: “Não matarás, não cometerás adultério… Não matarás criança por aborto nem criança já nascida” (2,2). “O caminho da morte é… dos assassinos de crianças” (5,2).

      2 -Epístola a Diogneto (século III):
      “Os cristãos casam-se como todos os homens; como todos, procriam, mas não rejeitam os filhos” (V,6).

      3 – Concílio de Ancira em 314 d.C:
      “As mulheres que fornicam e depois matam os seus filhos ou que procedem de tal modo que eliminem o fruto de seu útero, segundo uma lei antiga são afastadas da Igreja até o fim da sua vida. Todavia num trato mais humano determinamos que lhes sejam impostos dez anos de penitência segundo as etapas habituais” (Hardouin, Acta Conciliorum; Paris 1715, t. I, col. 279)

      4 – Papa Pio IX em 1869:”Declaramos estar sujeitos a excomunhão latae sententiae (anexa diretamente ao crime) reservada aos Bispos ou Ordinários, os que praticam aborto com a eliminação do concepto” (Bula Apostolicae Sedis de 12/10/1869).

      Você está confundindo a questão da discussão sobre quando há animação do ser humano, se mediata e imediata. Na época, alguns doutores da Igreja defendiam que o aborto feito antes da infusão da alma no embrião, a pena para este aborto não deveria ser tão severa. Porém, com os conhecimentos científicos da época insuficientes, a Igreja resolveu não fechar questão sobre isso e, manteve sua posição em favor da vida.

      Depois que as discussões filosóficas foram evoluindo, foi ficando mais clara que a animação imediata e portanto mais pronunciamentos oficiais foram publicados, mas como coloquei no início, desde da Didaqué a Igreja foi contra o aborto.

      Agora indo um pouco para sua afirmação: “Quiz dizer que de nada adianta um ser vir ao mundo sem o amor de seus pais”, lembrei do auto-intitulado bispo Macedo… confira: https://marcospauloteixeira.wordpress.com/2010/11/14/edir-macedo-eu-sou-favoravel-ao-aborto/

      A vida é um dom de Deus, ela independe do amor dos pais. Se uma criança é indesejada pelos homens, paciência… mas o próprio Deus afirma: “Desde o seio materno Javé me chamou, desde o ventre da minha mãe pronunciou o meu nome.” (Is 49,1)

    • Lucia, em quais fontes vc se baseia?

      Vc afirma que a Igreja Católica transformou o aborto em crime apenas em 1869?

      Não, vc está enganada.
      É um tema delicado e vasto, mas veja bem: A Igreja Católica sempre foi contrária ao aborto.

      Vou mostrar alguns posicionamentos:

      1 – Didaqué (primeiro catecismo cristão)- ano 90-100 d.C: “Não matarás, não cometerás adultério… Não matarás criança por aborto nem criança já nascida” (2,2). “O caminho da morte é… dos assassinos de crianças” (5,2).

      2 -Epístola a Diogneto (século III):
      “Os cristãos casam-se como todos os homens; como todos, procriam, mas não rejeitam os filhos” (V,6).

      3 – Concílio de Ancira em 314 d.C:
      “As mulheres que fornicam e depois matam os seus filhos ou que procedem de tal modo que eliminem o fruto de seu útero, segundo uma lei antiga são afastadas da Igreja até o fim da sua vida. Todavia num trato mais humano determinamos que lhes sejam impostos dez anos de penitência segundo as etapas habituais” (Hardouin, Acta Conciliorum; Paris 1715, t. I, col. 279)

      4 – Papa Pio IX em 1869:”Declaramos estar sujeitos a excomunhão latae sententiae (anexa diretamente ao crime) reservada aos Bispos ou Ordinários, os que praticam aborto com a eliminação do concepto” (Bula Apostolicae Sedis de 12/10/1869).

      Você está confundindo a questão da discussão sobre quando há animação do ser humano, se mediata e imediata. Na época, alguns doutores da Igreja defendiam que o aborto feito antes da infusão da alma no embrião, a pena para este aborto não deveria ser tão severa. Porém, com os conhecimentos científicos da época insuficientes, a Igreja resolveu não fechar questão sobre isso e, manteve sua posição em favor da vida.

      Depois que as discussões filosóficas foram evoluindo, foi ficando mais clara que a animação imediata e portanto mais pronunciamentos oficiais foram publicados, mas como coloquei no início, desde da Didaqué a Igreja foi contra o aborto.

      Agora indo um pouco para sua afirmação: “Quiz dizer que de nada adianta um ser vir ao mundo sem o amor de seus pais”, lembrei do auto-intitulado bispo Macedo… confira: https://marcospauloteixeira.wordpress.com/2010/11/14/edir-macedo-eu-sou-favoravel-ao-aborto/

      A vida é um dom de Deus, ela independe do amor dos pais. Se uma criança é indesejada pelos homens, paciência… mas o próprio Deus afirma: “Desde o seio materno Javé me chamou, desde o ventre da minha mãe pronunciou o meu nome.” (Is 49,1)

  6. E o juramento de Hipócrates virou julgamento da hipocrisia.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: