Publicado por: marcospauloteixeira | Maio 16, 2010

NÃO EXISTE CRISTÃO SEM A IGREJA

NÃO EXISTE CRISTÃO SEM A IGREJA

Por Marcos Paulo Teixeira

Cristo é o centro da história da Salvação. É ele quem salva o homem‚ mas Jesus sempre usou uma pedagogia‚ nem sempre a primeira vista compreensível‚ para se relacionar com o homem e o ensinar. Como explicar a discrepância entre entre os 30 anos que Jesus levou do lado de Maria e José e os‚ apenas‚ 3 anos que  para iniciar a sua vida pública e implementar sua obra salvífica?

Veja que‚ de fato‚ os nosso pensamentos não como os pensamentos dEle. Sobre a questão de ser cristão‚ seria muito mais fácil pensar que a minha conversão pessoal e a vida de Oração seriam suficientes para que eu recebesse o título de “cristão”. Mas‚ as coisas não funcionam nessa simplicidade toda!

Tomemos a história da conversão de Paulo. Como todos sabem‚ Paulo sempre foi um ferrenho perseguidor dos seguidores de Cristo. Foi Paulo que havia aprovado a morte de Estêvão (cf At‚ 8‚1). Foi Paulo que pediu cartas para as sinagogas com a finalidade de prender qualquer pessoa que seguisse a nova doutrina (cf At 9‚ 2)‚ ou seja‚ Paulo realmente respirava ódio aos Cristãos: “Enquanto isso‚ Saulo só respirava ameaças e morte contra os discípulos do Senhor.”(At 9‚1).

No momento em que Paulo se dirigia à Damasco para continuar as perseguições‚ eis que  teve um encontro pessoal com Cristo: Durante a viagem‚ estando já perto de Damasco‚ subitamente o cercou uma luz resplandecente vinda do céu. Caindo por terra‚ ouviu uma voz que lhe dizia: “Saulo‚ Saulo‚ por que me persegues?” Saulo disse: “Quem és‚ Senhor?” Respondeu ele: “Eu sou Jesus‚ a quem tu persegues…” (At 9‚ 3-5).

Dois fatos são importantes nesse texto. O primeiro é a experiência sobrenatural e escandalosa que Paulo teve com Cristo. Sobrenatural porque a experiência da luz o iluminou e o fez enxergar o que estava fazendo de errado‚ e a voz porque agora não era mais os seus pensamentos que o guiavam‚ mas sim‚ a vontade daquele que falava com ele: “Então‚ trêmulo e atônito‚ disse ele: “Senhor‚ que queres que eu faça?””(At 9‚ 6). Essa experiência também é escandalosa porque‚ na cabeça de Paulo‚ a pergunta era evidente: Como é que uma pessoa que morreu numa cruz aparece a mim e me toca? Isso é tão verdade que na carta aos coríntios aparece claro essa idéia de uma experiência escandalosa: “A linguagem da cruz é loucura para os que se perdem‚ mas‚ para os que foram salvos‚ para nós‚ é uma força divina” (I Cor 1‚ 18). “Os judeus pedem milagres‚ os gregos reclamam a sabedoria; mas nós pregamos Cristo crucificado‚ escâdalo para os judeus e loucura para os pagãos.” (I Cor 1‚ 22-23).

Aqueles que usam teorias materialistas (teologia da Libertação) para explicar a fé‚ se perdem com a experiência mística de São Paulo com Cristo. Esta é necessária e eficaz! Veja que interessante‚ Paulo teve uma experiência com Cristo Ressucitado‚ mas nas suas cartas é a cruz que predomina. É a experiência da cruz que ele se gloria. Por isso que a Igreja Católica canta que é a cruz que nos salvará.

O segundo fato é que São Paulo não perseguia Jesus‚ mas sim seus seguidores. Porém a voz dizia: “Saulo‚ Saulo‚ por que me persegues?”. Paulo teve um choque muito grande‚ pois esse Jesus se fazia presente no meio dos cristão como se fosse um com eles. Essa experiência foi tão forte que Paulo escreveu inúmeras vezes que a Igreja era sim o corpo de Cristo‚ da qual Ele (Jesus) é a cabeça. Veja: “Ele é a cabeça do corpo‚ da Igreja” (Cl 1‚ 18). “ Porque‚ como o corpo é um todo tendo muitos membros‚ e todos os membros do corpo‚ embora muitos‚ formam um só corpo‚ assim também é Cristo.” (1 Cor 12‚12).

A experiência que Paulo teve com Cristo‚ foi perseguindo os cristãos‚ ou melhor‚ a experiência de Paulo com cristo foi perseguindo a Igreja que Ele criou (cf Mt‚ 16-18). Não há como ser cristão sozinho‚ não há como ser cristão na minha casa apenas com a minha Bíblia ou na minha igrejinha particular que eu criei. Eu não posso ser cristão se não estiver no corpo de Cristo. Não há experiência verdadeira com Cristo sem  Igreja‚ sem o seu povo escolhido.

No Brasil‚ apesar dos protestantes enaltecer tanto a Lutero‚ é o pensamento de João Calvino que predomina. Calvino pregava que o homem não precisava do clero‚ dos santos e da doutrina para se chegar a Cristo‚ pelo contráio‚ pregava que tudo isso era um barreira entre Deus e os cristãos. Somando-se a isso o relativismo religioso contemporâneo, a ideia de que a Igreja não é necessária para a salvação‚ vai dividindo mais e mais o cristianismo. Esse pensamento justifica o que acontece contidianamente nas igrejas protestantes: pastores que fundam outras denominações por incompatibilidade de pensamentos com ou outros pastores.

Continuam alegando o cristianismo individualista‚ ou seja‚ o que interessa é ser cristão e não pertencer a nenhuma igreja‚ pois todas as igreja são frutos das mãos humanas.

Então como entender Jesus criando‚ fundando e edificando a sua própria Igreja? “E eu te declaro: tu és Pedro‚ e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela.” (Mt 16‚18).

Então como entender o pensamento de Paulo? “Há um só Senhor‚ uma só fé‚ um só batismo. Há um só Deus e Pai de todos‚ que atua acima de todos‚ por todos e em todos.” (Ef 4‚ 5 -6). Como eu posso aceitar a tese protestante de que a Igreja não importa se só pode existir uma só fé. Como eu posso aceitar essas milhares de igrejas que falam e pregam em nome de Cristo se vivem completamente diferente do que vivia e pensava a Igreja primitiva? Como eu posso dizer que a Igreja não importa se Paulo‚ continuamente em suas cartas‚ pede para que se conserve a doutrina recebida seja por palavra ou seja por carta?

Alguém neste mundo tem autoridade para dividir o cristianismo? Alguém tem o direito de criar uma igreja e dar o nome que quiser em nome de Deus? Claro que não!

Veja um exemplo de fidelidade à Igreja por parte do Apóstolo Tiago. Para compreender melhor leia Atos 15‚ 1 – 21.

Havia uma controvérsia entre os cristão do primeiro século. Os cristão da Judéia‚ que já eram circuncidados‚ começaram a ensinar que só poderia chegar a salvação se seguisse o rito de Moisés‚ aderindo a circuncisão. Paulo e Barnabé entraram na discussão dizendo o contrário‚ ou seja‚ que não era preciso mais a circuncisão. Tamanha foi a discussão que resolveram levar a questão para que os Apóstolos e os anciãos em Jerusalém resolvessem o caso. Depois de muita discussão Pedro tomou a palavra e todos silenciaram e disse que não era mais necessário tal jugo. Depois da fala de Pedro‚ Tiago‚ que até então defendia os cristão judeus‚ disse: “Por isso‚ julgo que não se devem inquietar os que dentre os gentios se convertam a Deus.” (At 15‚ 19).

Veja que exemplo de fidelidade ao corpo de Cristo. Vejam que exemplo de humildade e amor a Igreja.

Porém‚ Tiago propôs outras normas disciplinares e não doutrinárias: “Mas que se lhes escreva somente que se abstenham das carnes oferecidas aos ídolos‚ da impureza‚ das carnes sufocadas e do sangue.”(At 15‚ 19). Naquela época isso foi aceito unanemente. Então por que atualmenta nós católicos não seguimos tais regras? Ora‚ a mesma Igreja que aprovou essas regras disciplinares e não doutrinarias‚ é a mesma Igreja que depois as revogou. Como uma mãe que penaliza os seus filhos e depois revoga o castigo. Mas permanecemos unidos à Pedro.

Agora pergunto: Por que os protestantes não seguem as normas de At 15‚19‚ se eles dizem que seguem a Bíblia ao pé da letra?

Voltando ao assunto. S. Tiago era Apóstolo‚ primo de Jesus Cristo e bispo da Igreja de Jerusalém. Se São Tiago fosse Calvinista ele não teria aceitado a posição de Pedro‚ pois era ali uma ocasião de ruptura e motivo para se criar outra igreja. Mas graças à Deus‚ a Igreja primitiva era Católica‚ e fazia questão de estar em unidada à Pedro.

Por isso que na doutrina Católica‚ a Igreja não é apenas um sujeito de fé‚ mas sim um objeto de fé. No credo nós rezamos: “Creio na Igreja Una‚ Santa‚ Católica e apostólica.”

UNA porque é essência do Cristianismo a unicidade: “Sede solícitos em conservar a unidade do Espírito no vínculo da paz. Sede um só corpo corpo e um só espírito‚ assim como fostes chamados pela vossa vocação a uma só esperança. Há um só Senhor‚ uma só fé‚ um só batismo.”(Ef, 4‚ 3-5).

SANTA porque seu fundador é Santo e seu Espírito santifica a Igreja: “Maridos‚ amai as vossas mulheres‚ como Cristo amou a Igreja e se entregou por ela‚ para santificá-la‚ purificando-a pela água do batismo com a palavra‚ para apresentá-la a si mesmo toda gloriosa‚ sem mácula‚ sem ruga‚ sem qualquer outro defeito semelhante‚ mas santa e irrepreensível.” (Ef‚ 5‚25-27)

CATÓLICA porque é universal‚ porque não existe mais nação e nem língua que nos separe. Porque a verdade não é relativa‚ mas sim depositava sobre os fundamentos apostólicos. Porque a verdade é universal.

APOSTÓLICA porque o próprio Cristo chamou pessoalmente os doze e confiou aos apóstolos a missão de pregar a salvação por todo o mundo. A Igreja é apostólica pois nela se conserva‚ pela sucessão apostólica‚ a tradição‚ as sagradas escrituras e o sagrado Magisterio.

Não existe cristão sem a Igreja! Foi Cristo que quis assim!


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: