Publicado por: marcospauloteixeira | Setembro 10, 2011

REFUTAÇÃO DO LIVRO “POR AMOR AOS CATÓLICOS ROMANOS” (PARTE I)

REFUTAÇÃO DO LIVRO “POR AMOR AOS CATÓLICOS ROMANOS” (PARTE I)

Por Emerson de Oliveira

(Parte I – Introdução)

 Esta é uma série de refutações do livro “Por amor aos católicos romanos”, de Rick Jones. A primeira parte que analisaremos é esta http://www.chick.com/reading/books/0221/0221_intro.asp . Aqui consta a Introdução. Vou citar as palavras originais do artigo em preto e minhas respostas em azul. Agradeço ao irmão Alessandro Lima por seu crédito em algumas respostas aqui.

Neste livro examinaremos 37 das mais importantes doutrinas Católicas Romanas; então deixemos que os fatos falem por si mesmos.

É o que vamos esperar. Contudo, como veremos, na verdade BOA parte do livro são idéias pressupostas de Rick Jones e outros, misturando-se num amálgama indigesto. A má representação da fé católica será vista em várias páginas.

Aqui você não vai encontrar opiniões ou filosofias pessoais. São declarações verdadeiras das doutrinas da Igreja Católica Romana e como essas doutrinas são comparadas com a Bíblia. Você deve tirar suas próprias conclusões e tomar suas próprias decisões.

Não é que vai parecer depois de analisarmos o livro, onde Rick claramente é envenenado por seu anticatolicismo. O livro não é sério e é somente um panfleto anticatólico.

Este livro não está sendo escrito para julgar ou condenar. Seu único propósito é ajudá-lo a entender melhor a doutrina Católica, a fim de que esteja preparado para comparecer diante do Julgamento de Deus, como todos nós teremos de fazêlo, depois da morte. 

O autor, que é um mentiroso de primeira, diz que não quer julgar ou condenar. 
Mas você que já leu este texto, comprovou o tamanho da mentira, não é mesmo?

Mesmo porque a Bíblia revela que o Senhor vai dizer estas palavras a muitas pessoas religiosas. Sabendo isto, é vital que você não siga qualquer um cegamente. Estude estas doutrinas Católicas Romanas por você mesmo, a fim de poder encarar Deus com confiança. 

É verdade, Jesus dirá isto aos protestantes que se intitulam Bispos e Pastores, sem terem recebido autoridade apostólica para fazer isto. E também dirá aos padres que não ensinam o que a Igreja ensina.

(Parte I – Quem é a Autoridade Final?)

 Aqui encontramos nossa primeira grande discrepância. A Bíblia declara que ela é a única e final autoridade, enquanto o Catolicismo ensina que existem três autoridades finais. O Catecismo da Igreja Católica, de 1994, declara:

 Resta saber ONDE a Bíblia declara isso. Sim, pois em NENHUM lugar a Bíblia diz ser a ÚNICA regra de fé e prática, como promulgado pelo protestantismo.

A questão óbvia é o que acontece quando estas três “autoridades finais” discordam entre si. O Catecismo dá a resposta:

A questão não provada pelo autor é ONDE as três autoridades se discordam. Começaram as afirmações gratuitas. Agora pergunto: onde ficou o “Aqui você não vai encontrar opiniões ou filosofias pessoais”?

Como disse Bob Stanley:

O Depósito da Fé da Igreja Católica consiste na Sagrada Escritura, na Santa Tradição e no Magistério em união com nosso Santo Padre o Papa. Podemos compará-lo com um banquinho de três pés, no qual cada pé tem sua função própria e específica. Este banquinho de três pés está firmemente fincado na rocha sólida da Igreja Católica. Leia Mat 16,18, João 1,42, Ef 2,20, 1Ped 2,4-8. Um banquinho de três pés tem força, é firme, estável, sólido e forte. Isto é bom e está bem. Entretanto, o que acontece se cortamos um pé? O banquinho se torna instável e cai.
Durante a Reforma Protestante, os reformadores se separaram de um daqueles três pés de estabilidade. Eles rejeitaram o Papa e o Magistério, a autoridade docente da Igreja Católica. Eles amputaram um pé do banquinho de propósito e, ao fazer isso, perderam toda a autoridade. Perderam o árbitro das disputas entre pontos de vista opostos a respeito de fé e moral.
Leia Mat 18,15-18.

Eles amputaram a si mesmos da Coluna e Sustentáculo da Verdade que é a Igreja Católica.
Eles também criaram para si mesmos um banquinho instável, que balançava e estava sujeito facilmente a tombar e se despedaçar.

Por conseguinte, o Catecismo conclui que a única autoridade final não é a Bíblia, mas o ensino em voga da Igreja Católica, uma vez que ela é a única qualificada para prover a “interpretação autêntica” da Palavra de Deus.

Mas é claro. Jesus confiou à Igreja o poder de interpretar a Bíblia pois lhe deu o poder de ligar e desligar. Mas este poder de interpretação não é gratuito e disparate como pensam os protestantes. Jesus prometeu a Igreja o Espírito da Verdade para lhe guiar em toda a verdade (Jo.16.13).

Jesus Cristo deu uma autoridade mais alta para resolver disputas entre pessoas, mesmo quando há duas ou mais testemunhas. Ele lhes disse para apelar para a Igreja em Mt 18,17: “Mas se recusa ouvi-los, dize-o à Igreja. E se recusar ouvir também a Igreja, seja ele para ti como um pagão e um publicano (um coletor de impostos para o Império Romano).” Aqui, Cristo deu autoridade total à Sua Igreja.

Mas a Bíblia concorda? Se a Bíblia, a Tradição e os ensinos da Igreja Católica são todos, de fato, a Palavra de Deus, então a Bíblia vai concordar com este ensino. Infelizmente, para o Catolicismo, não é assim. De fato, é realmente o contrário. Deus declara na Bíblia que Sua Palavra escrita sempre tem sido e sempre há de ser – perfeita:
“As tuas palavras são em tudo verdade desde o princípio, e cada um dos teus justos juízos dura para sempre.” Salmo 119:160.

Não há nada aí que insinue o sola scriptura, como Rick Jones quer. Não vemos nada aí contrariando o ensino católico. Rick dá tiros n’água.

A Bíblia declara audaciosamente que ela é a única autoridade final. 
“Santificaos na verdade; a tua palavra é a verdade.” João 17:17

O quê? Será que Rick Jones, o grande, conseguiu o que nenhum protestante conseguiu, que é encontrar O versículo que prova osola scriptura (doravante SS)? Infelizmente, para ele, este versículo não está falando nada do que ele quer. Há passagens no Novo Testamento que indicam que a instrução e ensinos orais são válidos. Isto contradiz o SS, que ensina para isso só a Escritura é autorizada. Certamente, os escritores do Novo Testamento não acreditaram nisso:
Ainda tinha muitas coisas que vos escrever; não quis fazê-lo com papel e tinta, pois espero ir ter convosco, e conversaremos de viva voz, para que a nossa alegria seja completa. (IIJo.1.12)
Este versículo é devastador aos que seguem o Sola Scriptura. Aqui nós temos um caso onde João prefere compartilhar as informações oralmente em vez de escrevê-las. Seja o que forem estas “muitas coisas”, elas não estão na Bíblia. Como nós podemos saber delas, exceto através da Tradição? Os católicos crêem, mais do que ninguém, que a Bíblia é a Palavra de Deus, muito antes de Lutero e seus amigos surgirem na esfera terrestre. O ônus da prova cabe a Rick provar onde aí fala contra a Tradição e o Magistério.
Se não fosse pela Igreja católica ter discernido o cânon no Concílio de Roma (382) e Cartago (392), os protestantes nem saberiam “que palavras são a verdade”, pois muitos livros, durante os três primeiros séculos, estavam sendo candidatos a serem “palavras de Deus”.

No Livro de Apocalipse, Deus entrega esta afiada admoestação contra quem rasurar sua Palavra escrita:

Mentira! A citação não se refere à Bíblia inteira, mas às palavras “deste livro” (o Apocalipse). Daí vemos a péssima exegese de Rick Jones, que infelizmente, passou para muitos protestantes brasileiros.

O Apóstolo Paulo avisa aos leitores da Bíblia como deveriam reagir contra os que ensinam doutrinas contrárias à Palavra de Deus escrita:

Claro que na mente de Rick Jones vai estar “TODA a doutrina ensinada anteriormente pelos discípulos” (como se referisse a tudo o que está escrito na “Bíblia” ou o SS). Mais uma vez ele deu tiros n’água. Como é de praxe desses autores, analisar versículos fora do contexto ou significado original para se adequar à sua teologia, virou costume. A que doutrinas Paulo se refere aqui? São os ensinos que eles (os romanos) receberam por esta epístola e em outro lugar; o ensino de que estas divisões deveriam cessar; que as cerimônias judaicas não deveriam ser mais obedecidas; que todos deveriam colocar de lado as antigas causas de diferença, e ficarem unidos em uma família. Veja Rm. 14 e 15. Nada aqui falando do SS.
E cabe ao Rick e amigos provarem em quê a Tradição e o Magistério discordam da Bíblia. Embora os protestantes afirmem não ter um Magistério pedagógico, eles na verdade tem. Cada denominação tem seus próprios teólogos e estudiosos cujos ensinos são considerados autorizados e que é obrigatório aos membros daquela denominação.

Paulo adverte os crentes verdadeiros a evitar qualquer pessoa que ensine doutrinas contrárias às escritas nas Escrituras. Ele também revela as conseqüências de crer em tais ensinos falsos: “Mas ainda que nós, ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue (outro) evangelho que vá além do que vos temos pregado, seja anátema.” Gálatas 1:8 

E onde aqui vemos que a Igreja católica prega um outro evangelho? Muito antes de Lutero & Cia. a Igreja já ensinava a todos que Jesus é o caminho, a verdade e a vida. Rick só faz citações gratuitas, fora do contexto e no sentido que ele quer (não está se tornando assim um próprio interprete da Bíblia?)

O autor de Provérbios entrega a mesma dura advertência a qualquer um que se atreva a mudar a Palavra de Deus escrita: “Toda Palavra de Deus é pura; ela é escudo para os que nele confiam. Nada acrescentes às suas palavras, para que não te repreenda e sejas achado mentiroso.” Provérbios 30:5-6

O autor deveria lembrar isso a Lutero, que incluiu a palavra ‘SÓ’ em Rm.3.28. A Igreja católica sim, foi a que preservou a Bíblia intacta durante séculos, dos ataques dos hereges, daqueles que queriam mexer em seu conteúdo, alterando-o. Não foi a Igreja que alterou/adicionou/subtraiu palavras da Bíblia mas foram protestantes com suas falsas versões como a de Wycliffe, Tindale e mais atualmente na versão das Testemunhas de Jeová.

A Palavra de Deus permanece para sempre! Deus diz que sua Palavra foi escrita uma vez, a fim de permanecer para sempre.

Nos textos seguintes o autor só faz um tremendo qüiproquó de textos que não tem absolutamente nada a ver com o SS. Os católicos crêem na Bíblia. O problema para Rick Jones é que nenhum desses versículos que ele cita diz que a ‘Bíblia’ é TODA regra de fé e prática.

A Palavra de Deus é perfeita! A Palavra de Deus não pode ser mudada, porque ela é perfeita em todo sentido: “A Lei do Senhor é perfeita e restaura a alma…” Salmo 19:7

Péssima eisegese, Rick. No original hebraico, a palavra traduzida aqui por “lei” é Torá (o Pentateuco). Se levarmos ao pé-da-letra como quer Rick e Jack Chick, teríamos que seguir SÓ a Torá e o que está escrito no Pentateuco. Lógico que eles não vão aceitar isso. Mas se sentem à vontade em citar versículos que não provam nada (e muitas vezes vão CONTRA eles) do que eles pregam.

O Catolicismo proclama que somente o líder da Igreja Católica pode interpretar devidamente a palavra escrita, mas a Bíblia discorda: “…nenhuma profecia da Escritura provém de particular interpretação. Porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana, entretanto homens santos falaram da parte de Deus movidos pelo Espírito Santo.” 2 Pedro 1:20-21

Curiosamente o tiro saiu pela culatra, onde vemos que as milhares de denominações protestantes estão espalhadas como fragmentos de uma bomba por exatamente cada uma interpretar a Bíblia do SEU jeito. Um exemplo: o adventismo diz que a guarda do sábado é essencial para a salvação, assim como se abster de carne de porco e diz se basear na Bíblia para isso. Já um batista não concorda com nada disso e SE BASEIA também na Bíblia. A não ser que a Bíblia adventista for diferente da batista (o que não é o caso) temos aqui uma incongruência. Portanto, vemos que cada protestante (ou grupo) se torna seu próprio papa particular.

Onde Deus quer que seu povo obtenha sua doutrina… de um padre – ou da Bíblia? 
“Toda escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça.” 2 Timóteo 3:16

Claro que este é o versículo-chave de onde os protestantes se baseiam para o SS. Infelizmente, não diz nada do que querem. Acredito que seja porque quando citados em contexto, os versículos mostram claramente a falácia da SS e não a apóiam de maneira alguma. Exegese Bíblica fora de contexto é o maior motivo pelo qual muitos simplesmente entendem a Sagrada Escritura de maneira errada.

 Você deveria sempre começar com o primeiro versículo de um capítulo a fim de colocar os versículos seguintes no contexto adequado. Em alguns casos você poderá até ter que voltar e ler um capítulo anterior, para se assegurar.

Antes de continuar, gostaria fazer uma pergunta: “Se toda a Escritura é inspirada por DEUS, então por que os Evangelhos de Pedro, Paulo e Tomé não estão incluídos na Bíblia? Que resposta a Sola Scriptura dá a esta indagação?”

As falsas suposições do Sola Scriptura:

    – Que o Novo Testamento fala sobre todos os tópicos importantes.

– Que o Novo Testamento dá uma ênfase completa sobre cada tópico (mas por que tanta ênfase em genealogia e virgindade, por exemplo?)

– Que a doutrina não desenvolve (mas a Trindade desenvolveu, por exemplo)

Agora, sobre IITm. 3.16 vemos:

– A passagem se refere ao Velho Testamento e não ao Novo Testamento.   
– A passagem afirma que a Escritura é útil ou benéfica de algum modo. Isto é óbvio. Mas isto não significa que é a ÚNICA coisa que é útil ou benéfica.

Paulo não faz alusão alguma ao Magistério ou à Tradição da Igreja, pois o verso anterior diz: 
“E que desde a infância sabes as sagradas letras que podem tornar-te sábio para a salvação pela fé em Cristo Jesus.” 2 Timóteo 3:15

Como nos explica Bob Stanley: Algumas outras palavras, com sentido semelhante ao da palavra “Tradição”, são usadas por toda a Bíblia. Alguns exemplos são: Mt 28,20: “ENSINAI-AS A OBSERVAR TUDO O QUE VOS PRESCREVI.” Jo 15,20: “LEMBRAI-VOS da Palavra que vos disse.” Jo 15,27: “Também vós DAREIS TESTEMUNHO, porque estais comigo desde o princípio.” 1Cr 11,2: “Eu vos felicito, porque em tudo vos lembrais de mim, e guardais as minhas INSTRUÇÕES (o texto grego diz: “guardais as TRADIÇÕES”), tais como eu vo-las transmiti. 1Cr 15,2: “Por ele sereis salvos, se o CONSERVARDES como vo-lo preguei. De outra forma, em vão teríeis abraçado a fé”. Is 59,21: “…minhas palavras que coloquei em tua boca não deixarão teus lábios nem os de teus filhos, nem os de seus descendentes, diz o Senhor, desde agora e para sempre”. Isaías disse tudo… Veja também: 2Tm 1,13, 2Tm 2,2, 2Tm 3,14, 1Pd 1,25, 1Jo 2,24, 2Jo 1,12

Aqui está um versículo interessante. Leia At 20,35: “Em tudo vos tenho mostrado que assim, trabalhando, convém acudir os fracos e LEMBRAR-SE das palavras do Senhor Jesus, porquanto Ele mesmo disse: “É MAIOR FELICIDADE DAR DO QUE RECEBER”.” A palavra “LEMBRAR” não significa “MANTER A TRADIÇÃO”? E se isso não bastasse, tente encontrar onde é que o Senhor disse “É MAIOR FELICIDADE DAR DO QUE RECEBER” nos Evangelhos. Você não vai conseguir porque não está lá. Paulo transmitiu essa frase às pessoas nada mais nada menos do que por meio da “TRADIÇÃO”.

“Tradição” Apostólica: Sl 44,1; 45,17; 77,5.10-11; 105,5; 143,5, Pr 2,17; 6,20, *Is 40,8, *Is 59,21, Mt 28,20, *Mc 13,31, Lc 2,19,51, Jo 14,25-26; 15,20,27, Jo 21,24-25, At 2,42, *At 20,35, Rm 12,6, 1Cr *2,13, 11,2; 1Cor 15,2, 2Cor 3,2-3, *2Ts 2,14-15, *2Ts 3,6, 2Tm 1,13; 2,2.15, 2Tm 3,14, Hb 2,1, *1Pd 1,25, *2Pd 1,20, 1Jo 1,1, 1Jo 2,24, *2Jo 1,12, *3Jo 1,13-14, Jd 1,3, Ap 12,17, Ap 19,10.(http://www.thecatholictreasurechest.com/pscrip.htm)

Esta transmissão viva, realizada no Espírito Santo, é chamada Tradição, já que é distinta das Sagradas Escrituras, mas é intimamente conectada à ela. Pela Tradição, a Igreja, em sua doutrina, vida e adoração, perpetua e transmite a todas as gerações tudo aquilo que ela é, tudo aquilo em que ela acredita.

Há vários pontos que os protestantes tipicamente rejeitam:

– Que a Tradição (com um T “maiúsculo”) é o modo no qual a fé é transmitida a todas as gerações.   
– Que o Espírito Santo guia e dirige a Tradição da Igreja.- Que a Tradição provê a verdadeira doutrina da fé cristã.

– A Bíblia é extremamente ligada com a Tradição, mas não pode ser usada corretamente fora do contexto da Tradição.

Desde que a Igreja Católica ainda não existia quando Paulo escreveu estas palavras, ele não poderia estar se referindo aos ensinos do Catolicismo.

Não poderia ter existido segundo a péssima noção de História que Rick Jones e seus comparsas têm. Basta lembrarmos-nos de Mt.16.18, onde Jesus funda a Igreja. Depois disso, é História.

A Igreja existiu e funcionou antes que escrevessem qualquer coisa. Antes que uma linha do NT fosse escrito (1) Cristo estabeleceu Sua Igreja; (2) os apóstolos pregaram o Evangelho de Cristo; (3) São Pedro converteu 3,000 judeus; (4) O Concílio de Jerusalém foi feito; (5) A lei cerimonial judaica foi abrogada.

Antes que o último livro do NT fosse escrito (1) a Igreja católica celebrou seu jubileu; (2) 11 dos apóstolos tinham morrido.

Conseqüentemente, A BÍBLIA VEIO DA IGREJA. A IGREJA NÃO VEIO DA BÍBLIA. O cristianismo existiu mais de 300 anos sem uma única Bíblia cristã.

Deus repartiu sua autoridade? Como estes e centenas de outros versos deixam claro, Deus jamais deu a alguém autoridade para acrescentar ou mudar Sua Palavra. Ela é perfeita e completa, exatamente como ele a escreveu.

E ninguém deve acrescentar mesmo. Os protestantes é que acrescentaram doutrinas estapafúrdias que não é seguido pelo cristianismo histórico nem bíblico. Deviam agradecer à Igreja católica por ter discernido o cânon bíblico numa época em que era difícil fazer isso (séc. IV), numa época onde nem se sonhava com um protestante. Como os reformadores perderam toda a autoridade, a quem ou ao quê iriam recorrer para ocupar este espaço vazio? Voltaram-se para o único recurso que possuíam, a Bíblia Sagrada que, aliás, é um produto da Igreja Católica.

Ao fazer isso, declararam que a Bíblia era a única fonte de autoridade e prosseguiram para fabricar uma falsa tradição feita pelo homem chamada “Sola Scriptura” ou “Somente Bíblia”, a fim de promulgá-la.

Agora, por toda a Escritura, ainda há um segundo pé do Depósito Católico da Fé, do qual os reformadores não podiam tomar posse. É a Tradição Sagrada, Tradição Apostólica, Tradições de DEUS que a Igreja foi ordenada a manter e que ela já tem protegido e preservado por qualse 1500 anos no tempo da reforma. Leia Salmo 44,1, Isa 40,8, ***Isa 59,21, ***João 15,20, Atos 20,35, 1 Cor 2,13, ***1Cor 11,2, 
Fl. 2,16, ***Phil 4,9, ***2 Tess 2,15. ***2Tim 1,13-14, ***2Tim 2,2, ***2Tim 3,14, 
***2Tim 4,3, and 1Pd. 1,25.
(http://www.thecatholictreasurechest.com/plegacy.htm)

Uma das primeiras questões que você deve responder para você mesmo é: Deus violaria todas estas Escrituras só para dar ao Papa e à Igreja Católica o direito de mudar Sua Palavra, embora Ele tenha dito que jamais o faria?

Isto é um embuste! A Igreja católica não mudou palavras da Bíblia. Somente alguém desonesto para dizer isso! Foram católicos os que a escreveram (o problema para alguns evangélicos é pensar no nome “Igreja católica” e “católicos” como se fosse uma placa como “igreja batista”, “igreja metodista”, “igreja presbiteriana” e “batista”, “metodista”, etc. Não. O nome “Igreja católica” não é uma simples placa inventada por um homem – ex. John Knox e o presbiterianismo – mas a denominação de que ela seria “universal” Sl. 79.8).

Esta é outra mentira perpetrada pelos anticatólicos, de que a Igreja pode mudar a Bíblia (e interpretá-la como bem quiser. Eu mesmo pensava assim). O fato é que a Igreja é detentora da Bíblia, pois foi ela que deu origem ao Novo Testamento (que em ligação com o AT forma a “Bíblia”) e não a “Bíblia” que deu origem à Igreja.

Embora os protestantes afirmem não ter um magistério pedagógico, eles na verdade o têm. Cada denominação tem seus próprios teólogos e estudiosos cujos ensinos são considerados autorizados e que são obrigatórios aos membros de cada denominação.

Os Fariseus

Enquanto Jesus estava na terra ele publicamente hostilizava os Fariseus, líderes religiosos do seu tempo: “E em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens. Negligenciando o mandamento de Deus, guardais a tradição dos homens…” Marcos 7:7-8
Jesus estava aborrecido porque os Fariseus tinham colocado suas tradições acima da Palavra de Deus, porque Ele sabe que a Palavra de Deus conduz o povo à vida eterna, enquanto as tradições dos homens levam o povo à eterna destruição.

Isto fala sobre doutrinas de homens, dos fariseus, que não tem nada a ver com a Tradição que Paulo (e o cristianismo) ensina. É uma distorção deliberada feita por Rick Jones para enganar seus leitores de que tradição é uma palavra ruim.

Há passagens no Novo Testamento que indicam que as instruções e ensinos orais são válidos. Isto contradiz o Sola Scriptura, que ensina que só as Escrituras são autorizadas. Certamente, os escritores do Novo Testamento não acreditaram nisso. “Ainda tinha muitas coisas que vos escrever; não quis fazê-lo com papel e tinta, pois espero ir ter convosco, e conversaremos de viva voz, para que a nossa alegria seja completa.” (IJo.  1.12)

“Porque transgredis vós também o mandamento de Deus, por causa de vossa tradição?” Mateus 15:3

E São Paulo também escreveu: “Olhai para que ninguém vos engane pela falácia de uma vã filosofia, baseada em tradições humanas, segundo os elementos do mundo e não segundo Cristo” (Cl. 2,8). Porém, estes versículos condenam as errôneas tradições humanas, não as verdades que foram entregues oralmente pelos Apóstolos à Igreja. Estas verdades são as que fazem parte da Tradição (com “T” maiúsculo, para diferenciá-la das tradições meramente humanas).

Isto é um disparate com relação a “vos elogio porque vos recordais de mim a todo momento e mantendes as tradições tais como vos entreguei” (1Cor. 11,2) e “assim, pois, irmãos, permanecei firmes e guardai as tradições que vos foram ensinadas, seja por palavra, seja por epístola nossa” (IITs. 2.15)

Jesus sempre colocou as Escrituras acima das tradições: “Respondeulhes Jesus; Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus.” Mateus 22:29

Nada fala aí da comparação das Escrituras (tradição escrita) com a Tradição (oral). Isso só mostra a tremenda inépcia de Rick Jones em tratar de exegese, torcendo o texto para se adequar à sua teologia. O texto somente trata do mau entendimento que os saduceus tinham da ressurreição. Não era ensinado que os homens se casariam lá. As Escrituras, aqui, significam os livros do Velho Testamento. Não se pode torcer as Escrituras, Sr. Jones.
Jesus não condenou toda tradição; condenou as tradições errôneas – sejam doutrinas ou práticas – que minam as verdades cristãs. As demais Tradições, como nos pede o Apóstolo, devem ser conservadas firmemente. São Paulo manda os Tessalonicenses aderirem totalmente às tradições que ele lhes passara por palavra [oral] ou por carta [escrito]. 

A Palavra imutável de Deus tem sido sempre a autoridade final, nunca as tradições dos homens. “Cuidado que ninguém vos venha a enredar com sua filosofia e vãs sutilezas, conforme a tradição dos homens, conforme os rudimentos do mundo e não segundo Cristo.” Colossenses 2:8

Claro, citei esta passagem mais acima com o entendimento correto e não fora do contexto, como é praxe dos fundamentalistas. Em nenhum lugar a Bíblia diz que ela é a única regra de fé e prática. Aliás, sem a Tradição, nem seria possível se reconhecer os livros que formariam o NT que temos.

Claro, o problema é que a qual interpretação do sola scriptura seguir: a de Rick Jones (ignoro sua afiliação) ou de Lutero, Calvino, Knox, Smith, Ellen White, etc? Quem está certo? Quem pode decidir, se todos dizem se basear “nas mesmas Escrituras”? Daí vemos que, bíblica e logicamente, o SS morre em si mesmo.

Os Cristãos do Novo Testamento sabiam qual era a autoridade final:
“Ora, estes de Beréia eram mais nobres que os de Tessalônica; pois receberam a palavra com toda a avidez, examinando as Escrituras todos os dias para ver se as cousas eram, de fato, assim.” Atos 17:11

Tirar versículos do contexto e torcê-los como se torce roupa parece passatempo de Rick Jones. Não podemos tirar de um versículo um sentido que ele realmente não tenha, ou do que o autor quis expressar a seus leitores (este é um mal dos fundamentalistas evangélicos, tirar o sentido de um versículo e aplicá-lo a seu gosto e ao tempo atual).

A que Escrituras Lucas se refere aqui? Ao NT? Ele ainda não havia sido totalmente composto. Os escritores do NT escreviam para seus leitores tendo em mente que eles entenderiam o que eles escreviam. Aqui, no caso, refere-se ao fato dos bereanos procurarem nos textos do Antigo Testamento para ver se a pregação do apóstolo era correta sobre o ensino do Messias, Sua encarnação, obediência, sofrimentos, morte e ressurreição dentre os mortos (v. Jo.5.39).

Se você ler 2Tm 3.14-17 em seu contexto, Paulo diz a Timóteo para guardar primeiro as tradições, e então usar as Escrituras para seu proveito, no final. Ele está dizendo: “Tradição” e “Escritura” caminham de mãos dadas. Dessa forma, a Sola Scriptura não é Bíblica.

Para determinar se o que eles tinham ouvido era verdade aquelas pessoas foram à autoridade final, as Escrituras escritas. Jesus fala de Sua Palavra:
“…Se alguém me ama, guardará a minha palavra; e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada. Quem não me ama não guarda as minhas palavras…” João 14:23-24

Nada aí tem a ver com o assunto e não contradiz nada do que disse.

Considere estas palavras do apóstolo Paulo: “Outra razão ainda temos nós para incessantemente dar graças a Deus; é que tendo vós recebido a palavra que de nós ouvistes, que é de Deus, acolhestes não como palavra de homens, e, sim, como em verdade é, a palavra de Deus…” 1 Tessalonicenses 2:13

Onde diz aí que a Palavra de Deus é só a escrita? Se compararmos esta passagem com outra, escrita à mesma igreja, Paulo parece relacionar tradição e Palavra de Deus como sendo sinônimos:

“…que vos aparteis de todo irmão que ande desordenadamente e não segundo a tradição que de nós recebestes” (IITs. 3.6). É Paulo que faz a distinção de modos aos quais a revelação de Deus pode ser entregue a Seu povo. Paulo também chamou o processo de entregar a Palavra de Deus de “Tradição”. Ele designa dois modos nas quais as “tradições” são transmitidas: pela palavra, oralmente, e por carta, escrita.

Quando Paulo pregava a Palavra de Deus para aquele povo, não era a doutrina Católica, porque o Catolicismo ainda não existia.

Ridículo ao máximo. O que Rick Jones entende de doutrina católica? Deve ser o espantalho que ele faz porque o que ele fala ou supõe não deve ser a doutrina católica. Possivelmente ele deve estar pensando em “mariolatria, adoração a imagens e santos”, etc. e isto, é claro, não é o que a Igreja  ensina (P.S.: raramente vejo um evangélico citar os escritos da Igreja, como o catecismo, para dialogar. Normalmente são rápidos em alegar que viram “católicos adorando imagens”, “que católicos adoram Maria”, etc. mas são péssimos em estudar se é assim mesmo ou se é o que a Igreja ensina).

Qualquer estudo sério vai demonstrar que a Igreja é basicamente a mesma dos tempos apostólicos. Lógico, houve um desenvolvimento doutrinário, pois nem tudo está absolutamente, como pensaríamos hoje, tão claro, como o ensino da Trindade (nem esta palavra está na Bíblia, mas nem por isso ela não o ensina. E sabemos que este ensino foi um desenvolvimento lógico da doutrina, pois a Bíblia dá os “itens” da receita, mas o procedimento está na Igreja).

São Paulo diz, “Como eles ouvirão sem um pregador? Como eles pregarão a menos que lhes enviassem? A fé vem pelo ouvir, e o ouvir pela Palavra de Cristo.” Quando os apóstolos falam, eles afirmam falar com Divina autoridade e não dizem que estão fazendo um manual cristão em parte alguma. Seu ensino era a princípio ORAL, e não era intenção deles criar uma literatura permanente. Eles escreveram aos crentes, não para os incrédulos. A Igreja existiu e funcionou antes que escrevessem qualquer coisa. Antes que uma linha do NT fosse escrito (1) Cristo estabeleceu Sua Igreja; (2) os apóstolos pregaram o Evangelho de Cristo; (3) São Pedro converteu 3.000 judeus; (4) O Concílio de Jerusalém foi feito; (5) A lei cerimonial judaica foi abrogada.

Conclusão
Deus não muda (Malaquias 3:6), porque Ele é perfeito. Seu Filho Jesus não muda (Hebreus 13:8), porque Ele é perfeito. Por que, então, iria a perfeita Palavra de Deus mudar?

As doutrinas da Bíblia são ensinadas às pessoas pela Igreja católica mais fielmente que por qualquer outra Igreja na terra. A Bíblia nos fala que Cristo é Deus e isto, os ministros protestantes em crescente número negam. A Bíblia nos fala que Cristo estabeleceu uma Igreja viva, visível e os protestantes negam. A Bíblia nos fala que o pão e vinho consagrado é o verdadeiro Corpo e Sangue de nosso Senhor e isto os protestantes negam. A Bíblia nos fala que os ministros de Cristo têm o poder para perdoar pecados e isto os protestantes recusam acreditar. A Bíblia condena o divórcio até mesmo no caso de adultério e isto os protestantes através de prática consideram como tolice. Os católicos sabem a doutrina mais que um homem tagarela cita a Bíblia. Conhecimento de texto não é conhecimento de doutrina. Alguns católicos não lêem muito a Bíblia, mas eles sabem as doutrinas ensinadas da Bíblia mais que qualquer outra pessoa cristã na terra. Um católico pode deslizar quando você cita algum texto particular, mas ele sabe o que deve ser feito para salvar a alma de alguém e ele sabe tudo aquilo que Cristo condena; isto é, o divórcio, a contracepção, o aborto, esterilização, proibição, as injustiças sociais, etc.

Quando você ler o conteúdo deste livro, será forçado a decidir no que você acredita como autoridade final: na Palavra escrita de Deus ou nos ensinos e tradições da Igreja Católica?

Quando você ler o conteúdo deste livro chegará a conclusão que Rick Jones usa de tão péssima exegese e citação de versículos fora do contexto que, se for honesto, vai perceber que o Sola Scriptura fornece problemas insuperáveis a seus proponentes.

Quem for honesto, não fará as distinções estapafúrdias feitas por Jones. Ele fala que Cristo é contra toda tradição, sendo que Paulo ensina, seguindo Cristo, que há duas tradições. Rick, sutilmente, tenta incutir no leitor a separação da Bíblia com a doutrina católica o que, como veremos, é indissociável. 

Sua decisão se tornará crítica, quando você descobrir que os ensinos do Catolicismo são diametralmente opostos a todas as doutrinas que você examinará.

É o que veremos. Let’s go, Rick.

Você vai ficar do lado da Palavra de Deus ou das tradições dos homens?

“Passará o céu e a terra, porém as minhas palavras não passarão.” Mateus 24:35
Nota: Uma vez que as Escrituras escritas estabelecem plenamente que elas são a única Palavra de Deus, o que for escrito neste livro como Palavra de Deus estará sempre se referindo à Palavra escrita de Deus somente, e não às Tradições e ao Magistério da Igreja Católica.

My God. Onde se diz na Bíblia que a Palavra de Deus é só a escrita? Vê-se aí uma desonestidade flagrante de Rick.

Disponível em http://www.veritatis.com.br/article/5419

Parte II disponível em http://www.veritatis.com.br/article/5549


Responses

  1. Os ícones do cristianismo do passado como: Paulo, João, Mateus, Maria, mãe de Jesus, etc, etc. São nossos irmãos em Cristo e com seu exemplo de fé e dedicação a obra de Deus merecem todo o nosso respeito e admiração. Mas a bíblia nos ensina em Hebreus 09:27 ” Cada pessoa tem de morrer uma vez só e depois ser julgada por Deus”. Todos que morreram, em Cristo, estão aguardando o dia da primeira ressureição (apocalipse 20:06). E em 01 Timóteo 02:05 diz: ” Porque existe um só Deus e uma só pessoa que une Deus com as pessoas – Cristo Jesus, o ser humano que se deu a sí mesmo para salvar a todos.” Então se só Jesus pode unir as pessoas com Deus, não podemos clamar a Pedro, João, Maria, etc. Porque eles não poderão interceder por nós, somente Jesus Cristo tem este poder, só Ele é o caminho, ninguém irá ao Pai se não for através de Jesus( João 14:06). Temos que seguir a bíblia, porque ela foi inspirada por Deus. Caso contrário, iremos cada vez mais nos afastar dos propósitos de Deus para nossas vidas.

    Deus abençoe a todos!!

    Renato Bersot

    • Olá Renato, obrigado pela visita!
      Olha, somos de religiões diferentes… nós somos uma religião que recebemos a fé diretamente da boca dos apóstolos e por causa dessa tradição oral, a Bíblia foi compilada, logo nós não somos a religião do livro e sim da pessoa de Jesus vivo na Eucaristia, então queira que sejamos iguais a vocês. Vocês criaram as suas leis, vocês têm um fundador e nós temos o nosso, Cristo.
      Sobre a intercessão dos Santos é claro na Bíblia. Leia esse meu texto sobre intercessão: https://marcospauloteixeira.wordpress.com/2010/03/12/jesus-e-o-unico-intercessor/
      Você afirma em seguir a Bíblia… então vc há de aceitar a circuncisão, o dízimo anual para manutenção dos Levitas, a festa das tendas, pentecostes e outras leis que no total contabilizam 613 leis. Você as segue?
      A Igreja é quem tem autoridade para nos ensinar a Bíblia e me dizer o que devo seguir! É ela que é a coluna e sustentáculo da verdade, segundo Paulo.

      • Olá, Marcos!! Saudações em Cristo!!
        Sou de família tradicional católica e fui criado indo a igreja todos os domingos. Fiz primeira comunhão, fui crismado, sempre participei ativamente na igreja. Hoje sou membro da igreja batista em minha cidade. Não estou aqui para convencer você de nada, mesmo porque, o seu conhecimento bíblico é muito maior do que o meu. E também não estou de forma nenhuma colocando em dúvida a sua fé. Somente gostaria de esclarecer alguns pontos. Não existe na bíblia nada que testifique que a igreja católica foi a igreja primitiva. O nome da igreja católica romana não é citado em nehum momento no novo testamento.
        Em relação a cumprir as leis das escrituras, vou lhe responder com um versículo: ” Assim vemos que a pessoa é aceita por Deus pela fé( em Jesus) e não por fazer o que a lei manda.” Romanos 03:28
        Em relação a usar Moises como intermediador. O povo hebreu tinha saído do cativeiro no Egito e o seu grande líder era Moises. O Senhor Deus no antigo testamento falava com o povo através dos profetas. Pela morte de Jesus na cruz, hoje podemos ter acesso ao Santíssimo e podemos falar com Deus Pai. Jesus é a nossa ponte que nos liga a Deus.
        Você iniciou seu email dizendo que somos de religiões diferentes. Se você é de Cristo e eu também digo que sou de Cristo. Como podemos ser de religiões diferentes??
        Só existe uma verdade, só existe um caminho, somente um pode nos dar vida eterna – Jesus Cristo. Só Ele deu sua vida por nossos pecados. Portanto, toda honra e glória somente a Ele.

        Um abraço!!

      • Olá Renato, paz de Deus!
        Não consigo imaginar o que vc considera como “tradicional católico”, pois o que aconteceu há décadas no Brasil é o que acontece com protestantismo nos EUA: As pessoas nascem em família protestantes mas vivem uma vida distante do evangelho. No Brasil foi assim, as pessoas nasciam em família católica mas nunca tiveram uma verdadeira educação católica por vários motivos; seja por padres despreparados ou comunistas e por família que nunca se preocuparam em estudar a fé.
        Porém, espero que a sua não tenha sido como essas que citei, porque comigo foi assim. Além de ter padres que não ensinavam nada, minha família pouco sabia da fé.

        Ora Renato, vc me diz que não existe na bíblia nada que testifique que a Igreja Católica foi a Igreja primitiva. As palavras de Jesus em Mt 16 solidificaram a Igreja de Cristo em Pedro. Mas você queria que tivesse lá o nome católica? Ora, a Igreja de Cristo não tem nome. Católica não é nome e sim uma qualidade da Igreja.

        Mas vale aqui um pouco de história: Logo nos inícios da Igreja, os seguidores de Cristo foram designados com o nome de cristãos. Assim podiam distinguir-se dos filósofos pagãos e dos judeus ou seguidores da sinagoga. Este nome de cristãos como se sabe, já vem na própria Bíblia, e tal denominação começou em Antioquia: “em Antioquia é que foram os discípulos denominados CRISTÃOS, pela primeira vez” (At 11, 26), “Então Agripa disse a Paulo: Por pouco me não persuade a fazer-me CRISTÃO” (At 26, 28). “Se padece como CRISTÃO, não se envergonhe; mas glorifique a Deus neste nome” (1Pd 4, 16).

        Como todos não são fiéis a doutrina de Cristo dada aos apóstolos, começaram a aparecer hereges pregando doutrina diferente, porém usando também o nome de cristãos. Logo foi necessário uma nome (na verdade um adjetivo) que pudesse diferenciar os hereges dos cristãos autênticos, daí surgiu o termo Igreja Católica. Não foi uma nova Igreja, foi um termo usado para diferenciar os autênticos cristãos dos falsos.

        Dizendo essas mesmas coisas, um outro protestante me perguntou: E QUEM ME GARANTE QUE OS OUTROS CRISTÃOS ERAM FALSOS? Ora, é só estudar a Igreja primitiva e ver o que os falsos cristãos defendiam. Eles eram Arianos, ou seja não acreditavam na Trindade.

        Renato, veja bem… Santo Inácio de Antioquia que nasceu no ano 35 da era cristã e foi contemporâneo dos apóstolos, foi bispo de Antioquia entre os anos 70 e 107. Em um de seus escritos, que não fazem parte do canôn bíblico, mas tem autenticidade histórica já utilizava esse termo. Veja:
        “Onde comparecer o Bispo, aí esteja a multidão, do mesmo modo que, onde estiver Jesus Cristo, aí está a IGREJA CATÓLICA” (Epístola aos Esmirnenses c 8, 2).

        Veja outro pai da Igreja que nasceu no ano 69 e foi discípulo de João Evangelista, São Policarpo, bispo de Esmirna… escreveu: “A Igreja de Deus que peregrina em Esmirna à Igreja de Deus que peregrina em Filomélio e a todas as paróquias da IGREJA SANTA E CATÓLICA em todo o mundo”.

        Eu teria centenas de textos da Igreja Primitiva que já citavam o adjetivo “Católica”. Mas isso não é o mais importante. Cabe agora saber se a Igreja primitiva, que já usava o termo Católica mesmo antes da morte do último apóstolo é a mesma Igreja Católica de hoje.

        Só tem uma maneira de saber isso… lendo o que escreveram os pais da Igreja. O que eles pensavam?
        Não adianta falar em Bíblia tão cedo, pois a bíblia só foi compilado já no século IV. Ou seja, a Igreja primitiva possuiam os livros sagrados e apócrifos, mas ainda a Igreja Católica não tinha discernido o canon dos livros sagrados.

        E como eles fizeram isso? Como saber quais os livros inspirados e quais não eram? Como saber qual livro do apocalipse era o inspirado se existiam vários, bem como vários evangelhos e várias cartas atribuídas aos apóstolos.

        Então, foi a Tradição da Igreja, baseada no que ensinavam os apóstolos e os santos pais da Igreja que os livros apócrifos foram reconhecidos e rejeitados. A lista dos livros que vc tem aí na sua Bíblia não está escrito em lugar nenhum. Se você, meu caro Renato, só possui 4 evangelhos é porque a Igreja Católica discerniu isso.

        Para não alongar muito…sugiro que vc leia esse livro: A FÉ CRISTÃ PRIMITIVA: http://clubedeautores.com.br/book/4407–A_FE_CRISTA_PRIMITIVA
        E aí você verá o que pensavam os primeiros cristãos. Vc vai entender o que eles pensavam sobre Eucaristia (que vcs rejeitam), batismo de crianças (que vcs rejeitam), sacerdócio feminino, Papa etc.

        Sobre o cumprir a lei, vc falou bem. Os Cristãos não estão sob o jugo da lei, e sim sob a graça. Porém os protestantes entendem, por exemplo o dízimo como lei. Veja essa texto: https://marcospauloteixeira.wordpress.com/2011/09/25/o-dizimo-na-biblia/
        Espero que vc leia e me responda.

        Sua frase: “Jesus é a nossa ponte que nos liga a Deus” pareceu-me um pouco adventista. Ora, para os cristão Jesus é DEUS. Quando Paulo fala que ele é o único mediador, está referindo-se que ele sendo Deus Filho, é o único que pode nos tornar filhos de Deus, ou seja, é o único que pode recuperar a filiação perdida no pecado de Adão. É ignorância achar que mediador aqui seria intercessor.

        Reafirmo, somos de religião diferentes sim. Somos como os católicos do século I e os hereges do século I. Ambos Cristãos, porém com doutrinas diferentes.

        Não vou pedir que vc mostre na Bíblia está a igreja Batista, pois sei que a Igreja não tem nome, como já falei. Porém te desafio a procurar na Igreja primitiva a doutrina batista.
        Veja, Santo Inácio já usava o termo católica no século I, porém o nome que vc carrega, “Batista” deve ter aparecido lá pelo século XVI com John Smyth, isso você deve entender muito mais do que eu.

        Vc me parece ser sincero! Espero que você conheça muito bem a doutrina Batista, pois o que mais aparece aqui no Blog são protestantes que nunca leram nenhuma obra de Lutero, mas Interpretam a Bíblia como Lutero. Espero que vc compare o que pregava John Smyth e o que pregavam os pais da Igreja do século I, principalmente sobre o que significa o Batismo e o batismo das crianças.

        Em Cristo e em Maria Imaculada,
        Marcos Paulo

      • Marcos Paulo,
        Apesar de estar na igreja batista a 12 anos, eu não levanto a bandeira da denominação batista. A minha fé está em Jesus Cristo e a minha religião é Ele. Quando estava na igreja católica a minha fé era em Deus e nos santos. O que fiz foi canalizar a minha fé somente para Jesus. Veja o que a bíblia nos diz: “E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos. “Atos 4:12

        Vou colocar de outra forma. A igreja católica apostólica é a igreja primitiva. Mas a igreja católica apostólica ROMANA, teve sua criação no governo de Constantino. Veja:

        A Igreja Católica Romana declara que sua origem é a morte, ressurreição e ascensão de Jesus Cristo em aproximadamente 30 d.C. A Igreja Católica proclama a si própria como a Igreja pela qual Jesus Cristo morreu, a Igreja que foi estabelecida e construída pelos Apóstolos. É esta a verdadeira origem da Igreja Católica? Pelo contrário. Mesmo uma leitura superficial no Novo Testamento irá revelar que a Igreja Católica não tem sua origem nos ensinamentos de Jesus, ou de Seus apóstolos. No Novo Testamento, não há menção a respeito do papado, adoração a Maria (ou a imaculada concepção de Maria, a virgindade perpétua de Maria, a ascensão de Maria ou Maria como co-redentora e mediadora), petição por parte dos santos no Céu pelas orações, sucessão apostólica, as ordenanças da igreja funcionando como sacramentos, o batismo de bebês, a confissão de pecados a um sacerdote, o purgatório, as indulgências ou a autoridade igual da tradição da igreja e da Escritura. Portanto, se a origem da Igreja Católica não está nos ensinamentos de Jesus e Seus apóstolos, como registrado no Novo Testamento, qual a verdadeira origem da Igreja Católica?

        Pelos primeiros 280 anos da história cristã, o Cristianismo foi banido pelo Império Romano, e os cristãos foram terrivelmente perseguidos. Isto mudou depois da “conversão” do Imperador Romano Constantino. Constantino “legalizou” o Cristianismo pelo Edito de Milão, em 313 d.C. Mais tarde, em 325 d.C., Constantino conclamou o Concílio de Nicéia, em uma tentativa de unificar o Cristianismo. Constantino imaginou o Cristianismo como uma religião que poderia unir o Império Romano, que naquela altura começava a se fragmentar e a se dividir. Mesmo que isto aparente ser um desenvolvimento positivo para a igreja cristã, os resultados foram tudo, menos positivos. Logo Constantino se recusou a abraçar de forma completa a fé cristã, mas continuou com muitos de seus credos pagãos e práticas. Então, a igreja cristã que Constantino promoveu foi uma mistura de verdadeiro Cristianismo e paganismo romano.

        Constantino achou que, com o Império Romano sendo tão grande, vasto e diverso, nem todos concordariam em abandonar seus credos religiosos e abraçar o Cristianismo. Então, Constantino permitiu, e mesmo promoveu a “cristianização” de crenças pagãs. Crenças completamente pagãs e totalmente não-bíblicas ganharam nova identidade “cristã”. Seguem-se alguns claros exemplos disso:

        (1) O Culto a Ísis, deusa-mãe do Egito e esta religião, foram absorvidas no Cristianismo, substituindo-se Ísis por Maria. Muitos dos títulos que eram usados para Ísis, como “Rainha dos céus”, “Mãe de Deus” e “theotokos” (a que carregou a Deus) foram ligados a Maria. A Maria foi dado um papel exaltado na fé cristã, muito além do que a Bíblia a ela atribui, com o fim de atrair os adoradores de Ísis para uma fé que, de outra forma, não abraçariam. Na verdade, muitos templos a Ísis foram convertidos em templos dedicados a Maria. A primeira indicação clara da Mariologia Católica ocorre nos escritos de Origen, que viveu em Alexandria, Egito, que por acaso era o lugar principal da adoração a Ísis.

        (2) O Mitraísmo foi uma religião no Império Romano do 1º ao 5º século d.C. Foi muito popular entre os romanos, em particular entre os soldados romanos, e foi possivelmente a religião de vários imperadores romanos. Mesmo que jamais tenha sido dado ao Mitraísmo um status “oficial” no Império Romano, foi de fato religião oficial até que Constantino e imperadores romanos que o sucederam substituíram o Mitraísmo pelo Cristianismo. Uma das principais características do Mitraísmo era a refeição sacrificial, que envolvia comer a carne e beber o sangue de um touro. Mitras, o deus do Mitraismo, estava “presente” na carne e no sangue do touro, e quando consumido, concedia salvação àqueles que tomavam parte da refeição sacrificial (teofagia, comer o próprio deus). O Mitraísmo também possuía sete “sacramentos”, o que faz com que as semelhanças entre o Mitraísmo e o Catolicismo Romano sejam tão numerosas que não as podemos ignorar. Constantino e seus sucessores encontraram um substituto fácil para a refeição sacrificial do Mitraísmo no conceito da Ceia do Senhor/Comunhão Cristã. Infelizmente, alguns cristãos primitivos já haviam ligado o misticismo à Ceia do Senhor, rejeitando o conceito bíblico de uma simples e adorativa rememoração da morte e sangue derramado de Cristo. A romanização da Ceia do Senhor completou a transição para a consumação sacrificial de Jesus Cristo, agora conhecida como a Missa Católica/Eucaristia.

        (3) A maioria dos imperadores romanos (e cidadãos) era henoteísta. Um henoteísta é alguém que crê na existência de muitos deuses, mas dá atenção especial a um deus em particular, ou considera um deus em particular como supremo e acima dos outros deuses. Por exemplo, o deus romano Júpiter era supremo acima do panteão romano de deuses. Os marinheiros romanos eram freqüentemente adoradores de Netuno, o deus dos oceanos. Quando a Igreja Católica absorveu o paganismo romano, ela simplesmente substituiu o panteão de deuses pelos santos. Assim como no panteão romano de deuses havia um deus do amor, um deus da paz, um deus da guerra, um deus da força, um deus da sabedoria, etc, da mesma forma, na Igreja Católica havia um santo “responsável” por cada uma destas coisas, e muitas outras categorias. Assim como muitas cidades romanas tinham um deus específico para ela, também a Igreja Católica providenciou “santos padroeiros” para as cidades.

        (4) A supremacia do bispo romano (o papado) foi criada com o apoio de imperadores romanos. Com a cidade de Roma sendo o centro do governo para o Império Romano, e com os imperadores romanos vivendo em Roma, a cidade de Roma alcançou proeminência em todos os aspectos da vida. Constantino e seus sucessores deram apoio ao bispo de Roma como governante supremo da Igreja. Logicamente é o melhor para a unidade do Império Romano que o governo e estado religioso sejam centralizados no mesmo lugar. Mesmo a maioria de outros bispos (e cristãos) resistindo à idéia da supremacia do bispo romano, o bispo romano ascendeu à supremacia, por causa do poder e influência dos imperadores romanos. Quando houve a queda do Império Romano, os papas tomaram para si o título que anteriormente pertencia aos imperadores romanos – Máximo Pontífice.

        Muitos outros exemplos poderiam ser dados. Estes quatro devem ser suficientes para demonstrar a verdadeira origem da Igreja Católica. Logicamente a Igreja Católica Romana nega a origem pagã de seus credos e práticas. A Igreja Católica disfarça suas crenças pagãs sob camadas de teologia complicada. A Igreja Católica desculpa e nega sua origem pagã sob a máscara de “tradição da igreja”. Reconhecendo que muitas de suas crenças e práticas são em essência estranhas à Escritura, a Igreja Católica é forçada a negar a autoridade e suficiência da Escritura.

        A origem da Igreja Católica é a trágica mistura de Cristianismo com religiões pagãs que o cercavam. Ao invés de proclamar o Evangelho e converter os pagãos, a Igreja Católica “cristianizou” as religiões pagãs e “paganizou” o Cristianismo. Embaçando as diferenças e apagando as distinções, sim, a Igreja Católica se fez atraente às pessoas do Império Romano. O resultado foi que a Igreja Católica se tornou a religião suprema no “mundo romano” por séculos. Contudo, um outro resultado foi a mais dominante forma de apostasia cristã do verdadeiro Evangelho de Jesus Cristo e da verdadeira proclamação da Palavra de Deus.

        II Timóteo 4:3-4 declara: “Porque virá o tempo em que as pessoas não escutarão o verdadeiro ensinamento, mas seguirão os seus próprios desejos. E juntarão para si mesmas muitos mestres, que vão dizer a elas o que querem ouvir.”

        Marcos Paulo, o seu conhecimento é fantástico. Mas não podemos fugir à Bíblia, porque, caso contrário, iremos nos perder no oceano da informação. A palavra de Deus( a bíblia) é o nosso porto seguro.
        “Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam;” João 5:39

        Mais um testo que confronta o batismo de bebês:”E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo; Atos 2:38
        Um bebê vai se arrepender do que??

        É dado muita ênfase à pessoa de Maria, mas Jesus nunca se referiu a ela nem mesmo como mãe.
        veja:”Disse-lhe Jesus: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora. João 2:4. Se Jesus é Deus, quem é o criador e quem é a criação??
        Maria se refere a Deus como seu salvador. “E o meu espírito se alegra em Deus meu Salvador;” Lucas 1:47

        Maria se coloca na posição de pecadora e oferece em sacrifício duas rolinhas no templo. “E para darem a oferta segundo o disposto na lei do Senhor: Um par de rolas ou dois pombinhos.” Lucas 2:24

        Maria foi um exemplo de vida cristã para todos nós. E acabou por aí. Ela como todos os cristãos do passado estão aguardando a primeira ressureição.
        “Mas os outros mortos não reviveram, até que os mil anos se acabaram. Esta é a primeira ressurreição.” Apocalipse 20:5 . Ela não pode interceder por ninguém.

        Um abraço!!

      • Renato,
        Se você não levanta a bandeira da sua denominação é porque deve faltar muito crédito. Mas é de se esperar, como defender uma denominação criada pelos homens que interpretam a bíblia da sua maneira?
        Ao afirmar que a sua religião é Jesus você erra, pois cristo fundou a Igreja dele em Mt 16. E Paulo, diferente de você, se orgulhava de pertencer a única Igreja de Cristo. Vejam Rm 1,5: “… a fim de levar, em seu nome, todas as nações pagãs à obediência da fé”. Veja que Paulo não fala só em fé como você, mas fala de obedecer a fé, ou seja obedecer ao que foi determinado em nome do Senhor.
        Agora vem a pergunta: E seria algo determinado? Claro, leia novamente Mt 16 e veja Jesus dizendo a Pedro que tudo o que ele ligares na Terra será ligado no Céu. Veja o Concílio de Jerusalém em AT 15. O que eles estavam discutindo? Estavam discutindo se os novos cristãos precisariam ou não ser circuncidados. Pois veja aí, sempre houve no Cristianismo regras.

        Em Efésios 4 Paulo fala que há uma só fé. Ora, se há uma só fé é porque há uma só doutrina. Por exemplo, já no século IV os arianos pregavam que não deveríamos acreditar na Trindade porém Jesus era divino. E aí, qual a fé verdadeira? Dos Católicos da época ou dos Arianos? Pois é, foram os Concílios de Nicéia e Constantinopla que definiram que a fé verdadeira era na divindade da trindade.

        Não existe essa história de dizer que a sua religião é a fé em Jesus. Ao se declarar Batista, você também aceita que não devemos batizar crianças, menos sendo doutrina diferente da Igreja primitiva. E agora cadê a sua fé exclusiva em Jesus?
        Ao negar a presença real de Jesus na Eucaristia você segue as teses de Lutero e João Calvino, mas você vem me dizer que sua religião é Jesus. É uma pena! Você está enganado.
        Ao ser protestante você aceita a fé como única condição necessária a salvação, mesmo a bíblia sendo contra essa tese, mas vem você dizendo que sua religião é Jesus.

        Claro que não, meu amigo. A sua religião não é Jesus. Você é protestante e carrega nos ombros a tradição protestante. Não como negar isso.

        Você citou Atos 4 para afirmar que em nenhum outro nome há salvação, mas a discussão aqui não é essa. Nós pregamos há 2000 anos que só Jesus pode nos salvar, porém eu não posso ter uma fé minha e particular como se tudo brotasse de mim. Não! A revelação foi dada a Igreja, é ela que é coluna e sustentáculo da verdade.

        Sobre história de Constantino, nenhum historiador sério discutiria mais esse tema. Mas eu tenho paciência.
        Em primeiro, como poderia Constantino ter fundado o Catolicismo Romano se já existia a doutrina católica, bem como o papado já no século I?
        Como pode ter Constantino no século IV se já no século I os Cristãos já eram designados por católicos?

        Antes de continuar esse debate… mostre-me as fontes dessas suas afirmações sobre Constantino. Mostre qual o historiador chegou a esses acontecimentos.
        Aguardo resposta.

  2. Marcos Paulo,
    A deusa astarote era chamada de rainha dos céus no antigo testamento.

    “Os filhos apanham a lenha, e os pais acendem o fogo, e as mulheres preparam a massa, para fazerem bolos à RAINHA DOS CÉUS, e oferecem libações a outros deuses, para me provocarem à ira.” Jeremias 7:18

    A história é a mesma só mudou os nomes.

    Que o Senhor Deus lhe abençoe!!

    • Caro Renato, só alguém que não conhece como Maria foi preparada desde o gênese para ser a nova eva pode fazer uma comparação dessa. Ela é a mulher que pisa a cabeça da serpente conforme Apocalipse 12. Maria portanto não é Deusa, e o seu reinado é o reinado do seu filho, como diz São Paulo: Se morrermos com ele, com ele viveremos. Se soubermos perseverar, como ele reinaremos. (2Tim 2,12).

      Comparar Maria com astarote é apelação. Outra coisa, NÓS NÃO SOMOS JUDEUS. Nós sabemos diferenciar o amor a Nossa Senhora com a adoração exclusiva à Santíssima Trindade.

      Preste atenção neste texto: https://marcospauloteixeira.wordpress.com/2010/10/09/maria-teve-pecado/

      Abçs

      • Prezado Marcos Paulo,
        A algumas décadas passadas o sacerdote católico rezava a missa em latin e de costas para os fiéis. Já que se fala tanto em tradição, porque não manter esta?? Mas o que vemos é a igreja romana tentando copiar cada vez mais os cultos evangélicos. Porque será??
        Em relação a apocalipse 12 a mulher que tem a lua debaixo de seus pés não é Maria, e sim a igreja do Senhor que obedece os mandamentos de Deus e são fiéis à verdade revelada por Jesus.
        Jesus não divide a honra dele com ninguém. O poder está no nome de Jesus. Nunca ví ninguém expulsar um demônio em nome de Maria.

      • Caro Renato, convido-o a ler esse texto sobre a Tradição da Igreja: https://marcospauloteixeira.wordpress.com/2010/04/11/tradicao-palavra-de-deus-nao-escrita-leia-e-entenda/

        Tradição é a palavra de Deus não escrita, mas ensinada oralmente pelos apóstolos. No entanto os ao mudar a maneira de celebrar a Santa Missa (ou seja o rito) em nada feri ou muda a Sagrada Tradição da Igreja. A Igreja possui vários ritos, e rito extraordinário continua no coração da Igreja e não é proibido celebrar neste rito. Veja que aqui não é questão de tradição apostólica, mas de disciplina da Igreja.

        Jamais iremos copiar um culto evangélico porque ele é incompleto. Não existe o que, para nós católicos, é mais importante: A Celebração Eucarística. É verdade que grupos de Oração da RCC têm momentos muito parecidos, mas se ficassem só nisso, também seriam incompleto como vcs são.

        O culto perfeito é apenas a Santa Missa, onde oferecemos o próprio Jesus em Sacrifício ao Pai. Por mais que os cultos protestantes tenham músicas, emoções, exorcismos etc… serão sempre incompletos.

        É típico da literatura apocalíptica uma figura ter duas interpretações. A mulher do apocalipse é sim a Igreja do Senhor, mas não qualquer Igreja que surgiu no século XVI, mas a Igreja fundada por Cristo. Mas também, essa mulher é evidente que é Maria. Veja só: “ELA DEU À LUZ UM FILHO, UM MENINO, AQUELE QUE DEVE REGER TODAS AS NAÇÕES PAGÃS COM CETRO DE FERRO” (Apocalipse 12,5).
        Me responda Renato, quem é esse menino? É Jesus!!! Lógico!!
        E quem é a mãe de Jesus? MARIA!

        Não há necessidade de expulsar demônio em nome de Maria, e nem ela quer isso. Os que amam Maria, tem Jesus no coração e é em nome dele que agimos. Mas leia novamente apocalipse e veja que no capítulo 12, versículo 4 o Dragão deteve-se diante da Mulher que estava para dar à luz… Ou seja, deteve-se diante de Maria!

  3. Tornarão atrás e confundir-se-ão de vergonha os que confiam em imagens de escultura, e dizem às imagens de fundição: Vós sois nossos deuses
    Isaias 42.17

    • Vagner, veja como é falha a vossa interpretação das sagradas escrituras.
      Para entender, leia as duas partes do texto “DEUS PROÍBE AS IMAGENS?” https://marcospauloteixeira.wordpress.com/2010/06/16/deus-proibe-as-imagens/

      • Prezado Marcos Paulo,
        Bastava olhar para a serpente de bronze e o povo era curado. A serpente não era para ser adorada como alguns do povo o fizeram. Veja o que o rei Ezequias fez em 2 Reis 18:04:
        “Ele destruiu os lugares pagãos de adoração, quebrou as colunas de pedra e derrubou o poste-ídolo( imagem de Asherá, deusa dos fenícios e dos sírios, adorada juntamente com Baal, o seu companheiro). Também fez em pedaços a cobra de bronze que Moisés havia feito e que era chamada de Neustã. Até aquela época o povo de Israel queimava incenso em honra dela.”
        O Senhor Jesus não divide a glória Dele com ninguém, muito menos com imagens feitas de gesso, madeira, etc. Em 1 João 5:21 diz: “Filhinhos, guardai-vos dos ídolos.”
        Meu amigo, você está lutando no exército errado, está perdendo seu tempo defendendo uma igreja que matou milhares de pessoas com requinte de crueldade na inquisição. Esta mesma igreja tem distorcido a palavra de Deus e tem levado muitas almas para a perdição eterna. Tenho orado por você para que o Espirito Santo de Deus lhe retire as vendas dos seus olhos e você possa enchergar a verdade e ser liberto, assim como eu fui no passado e hoje eu posso dizer com grande alegria no meu coração. EU E MINHA CASA SERVIMOS AO SENHOR!!!
        Marcos Paulo, no dia do juízo final todos serão julgados e não haverá nenhuma chance de recursos à Suprema corte, nem na terra, nem no céu, nem no inferno. Se entregue ao Deus da bíblia enquanto é tempo!!

      • Caro Renato, concordamos com vc… a serpente não era para ser adorada! Nunca dissemos isso! Já escrevi sobre isso no artigo “DEUS PROÍBE AS IMAGENS? PARTE 2”.
        Sobre o rei Ezequiel… Veja é claro que há uma condenação do ídolo, que no caso, era uma imagem que tomava o lugar de Deus. Na Igreja Católica, nunca uma imagem de um homem santo substituiu o lugar de Deus. As próprias imagens de Jesus, são para lembrar do amor que Ele tem por nós. Sempre foi assim. Procure na internet as catacumbas romanas do século II.. que mostram que a arte sacra já era comum entre os primeiros Cristãos.

        A Bíblia é clara… há proibição dos ídolos! E não das imagens que não são ídolos. Para entender isso, por favor leia o texto sobre as imagens que eu escrevi.

        Agora se vc insiste em afirmar que na Igreja Católica, as imagens são adoradas… a conversa termina aqui, pois vc criou uma catolicismo quebrado, para que, acreditando nesse tipo de fé católica que existe na sua cabeça, possa ser contra ela.

        Não seria mais sincero, ser contra a doutrina oficial da Igreja, e não o que vc acha sobre ela?

        Por que todo protestante termina seus textos com ameaças do fogo do inferno? Será que nunca passou pela sua cabeça que vc pode estar errado?

      • Prezado Marcos Paulo,
        Veja o que diz êxodo 20:04,05:

        “Não faça imagens de nenhuma coisa que há lá em cima no céu, ou aqui embaixo na terra, ou nas águas debaixo da terra. Não se ajoelhe diante de ídolos, nem os adore, pois eu, o Eterno, sou o seu Deus e não tolero outros deuses…”
        Se o círio de nazaré não é uma demonstração de idolatria por uma imagem de gesso, então o que seria idolatria??
        Quando era católico eu costumava ir nos lugares de romaria. Estive uma vez em Aparecida do Norte, SP, e fiz vários pedidos para a imagem da santa que ficava dentro de uma redoma de vidro. Era uma fila gigante e todos tocavam no vidro e faziam seus pedidos. A minha fé naquele momento, e de todos que estavam na fila, estava direcionada para a imagem, e não para o Deus soberano que tudo pode. Meu amigo, Deus ama a todos os católicos e quer salvar a todos. Liberte-se das tradições e ensinamentos de homens e adorem somente a Jesus, que é dígno de toda honra e glória. Só Ele morreu na cruz por seus pecados. O significado da palavra “RELIGIÃO” é religar. Religar o homem com Deus. E o único que pode fazer está ligação é JESUS CRISTO. Só Ele é o caminho para se chegar a Deus Pai.

      • Caro Renato… a palavra de Deus não se contradiz. Veja só.
        Em Êxodo, “parece” haver uma proibição as imagens. Logo, não deveríamos encontrar em nenhum outro lugar na Bíblia a ordem de Deus mandando fazer outras imagens. Veja:
        “e o senhor disse a Moisés:
        “Fazes para ti uma serpente ardente e mete-a sobre um poste. Todo o que for mordido‚ olhando para ela‚ será salvo.” (Nm 21‚8).

        “Farás dois querubins de ouro; e os farás de ouro batido‚ nas duas extremidades da tampa‚ um de um lado e outro de outro‚ fixando-os de modo a formar uma só peça com as extremidades da tampa. Terão esses querubins suas asas estendidas para o alto‚ e protegerão com elas a tampa‚ sobre a qual terão a face inclinada.” (EX 25‚ 18-20).

        “Fez no santuário dois querubins de pau de oliveira‚ que tinham dez côvados de altura. Cada uma das asas dos querubins tinha cinco côvados de altura‚ o que fazia dez côvados da extremidade de uma asa à extremidade da outra.” (I Reis 6‚23-24).

        Então, seria Deus incoerente com suas palavras? Claro que não!!! Na verdade a proibição não são para as imagens, e sim para os ÍDOLOS, que tanto pode ser imagens como no caso de Exodo 20 como qualquer coisa ou pessoa que colocamos no lugar de Deus.

        Vamos entender Êxodo 20: “Não terás outros deuses diante de minha face. Não farás para ti escultura‚ nem figura alguma do que está em cima‚ nos céus‚ ou embaixo‚ sobre a terra‚ ou nas águas‚ debaixo da terra. Não te prostrarás diante delas e não lhes prestarás culto.” (Ex 20‚2-5a).

        Veja a proibição: NÃO TERÁS OUTROS DEUS! Ora, é verdade!! Todas as imagens que o povo JUDEU e não os Cristãos, criaram para substituir Deus, devem ser proibida.

        Isso é tão claro. Deus mandou fazer a serpente … mas a partir do momento que o povo deixou de adorar a Javé, a ordem foi para destruir a serpente.

        Tá entendendo meu caro… Vale a pena ler Dt 27,15: “Maldito o homem que fabrica ídolos de madeira ou metal (abominação para o senhor, obra de mãos de artesão), e o erige mesmo que seja em lugar escondido!

        Os Cristãos não são Judeus… As imagens Cristãs não são os ídolos do antigo Testamento… Os protestantes tradicionais nem discutem mais isso.

        Que fique claro pra vc que foi católico só de nome, mas NUNCA CONHECEU a verdadeira doutrina Católica e apostólica: Muitos mártires católicos morreram defendendo o Credo que professamos. E nele é claro, nós só ADORAMOS A SANTÍSSIMA TRINDADE.

        As imagens criadas para lembrar as pessoas Santas, e mesmo as que são feitas para lembrar Jesus, não são ídolos, pois não são colocadas no lugar de Deus.

        Em Isaías 44, 10-11 lemos: “Aquele que quer modelar um deus, funde uma estátua que não servirá para nada. Seus fiéis ficarão decepcionados e seus operários são apenas homens. Que todos se congreguem e compareçam. Ficarão assustados e decepcionados.”

        Nós nunca modelamos um Deus… as imagens são fotografias! Do mesmo jeito que posso fechar os olhos e imaginar a face de Cristo, eu posso rezar contemplando a face de Cristo numa imagem. Não existe idolatria nisso!

        Agora te pergunto… como vc diz que os ensinamentos da Igreja Católica são os ensinamento dos homens? Será que ao seguir a sua denominação vc não está seguindo a tradição criada pelo fundador da igreja que vc participa? E mesmo se vc disser que segue apenas a bíblia, também está caindo nesse mesmo erro, pois o Sola Scriptura também foi criado pelos homens.

      • Marcos Paulo,
        Veja o que diz Gálatas 01:08:
        “Mas ainda que nós, ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue outro evangelho que vá além do que vos temos pregado, Seja anátema.”

        Veja também 2 Pedro 01:20-21:

        “…nenhuma profecia da escritura provém de particular interpretação. Porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana, entretanto homens santos falaram da parte de Deus movidos pelo Espírito Santo.”
        Estou na igreja batista porque ela tem a bíblia como livro de doutrina. Mas não sigo ensinamentos dos seus fundadores.
        Como visto nos textos acima é amaldiçoado quem prega um evangelho diferente do ensinado por Jesus. A igreja católica romana prega um evangelho anátema. Me mostre na bíblia católica onde diz que Maria é nascida sem pecado, ascenção de Maria aos céus, que Maria continuou virgem depois do nascimento de Jesus, oração pelos mortos, purgatório, clausura?? etc.
        Fui católico praticante muitos anos de minha vida, pertencia a igreja sagrada família em Barra de São João-RJ. Basta perguntar as pessoas de minha época e eles lhe dirão. Tenho foto de minha crisma. Se quiser lhe envio por email.
        Um dia lendo a bíblia o Espírito Santo me mostrou a verdade.
        Se eu estiver errado em seguir a bíblia, no juízo final eu poderei dizer a Deus que tentei seguir a sua palavra. Por outro lado, o que dirão os católicos?? Que seguiram as tradições e ensinamentos católicos??
        É a salvação de vocês que está em jogo.
        Tenha a Jesus Cristo como seu único, suficiente e exclusivo salvador. A bíblia de Gênesis a Apocalipse é CRISTOCÊNTRICA. Só Jesus pode salvar. Só o nome de Jesus é que tem poder.

  4. Quer dizer Renato que esse mesmo espirito santo que te mostrou a biblia, tambem te mostrou a igreja a ser seguida ou seja a batista; mas qual? onde é que tem na biblia?

    – os batistas calvinistas
    – os batistas congregacionalistas
    – os batistas primitivos
    – os batistas do livre pensamento
    – os batistas dos seis princípios (porque aceitam como único fundamento dá fé e da vida cristã os seis pontos mencionados em Hebr 6, 1-2: arrependimento, fé, batismo, imposição das mãos, ressurreição dos mortos, juízo eterno)
    – os batistas tunkers
    – os batistas campbellitas
    – os batizantes a si mesmos
    – os batistas abertos
    – os batistas fechados
    – os batistas do sétimo dia (que observam o sábado e não o domingo), etc.

    • Adeilton,
      A verdadeira igreja de Cristo é a que segue o que Jesus pregava. Partindo do princípio que igreja não salva ninguém, não é por estar em uma igreja Batista que serei salvo, eu poderia estar hoje em uma das igrejas Batistas que você mencionou ou até mesmo em uma Assembléia de Deus( que já fui membro antes de ser da Batista), Metodista, Presbiteriana( igreja onde minha mãe se converteu depois de passar 60 anos no catolicismo), Congregacional, Luterana, Maranata, Nova Vida, etc, etc. O importante é estar em uma igreja que tenha a bíblia como seu livro de doutrina e que siga a Jesus como seu único, suficiente e exclusivo salvador. Veja o que diz a bíblia:

      “E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos.”
      Atos 4:12

      “Porque, se alguém for pregar-vos outro Jesus que nós não temos pregado, ou se recebeis outro espírito que não recebestes, ou outro evangelho que não abraçastes, com razão o sofrereis.”
      2 Coríntios 11:4

      “Filhinhos, guardai-vos dos ídolos. Amém.”
      1 João 5:21

      A paz de Jesus!!

      • Caro Renato, pelos seus comentários voce e sua familia estão numa gangora ou melhor em cima do muro; nunca foram catolicos e estão sem rumo no protestantismo, eu te pergunto, se a verda. igreja de Cristo é a que segue os ensinamentos de jesus porque voce mudou tanto? estas igrejas não pregavam os ensin. de Cristo? voce diz que igreja não salva niguem e porque jesus fundou uma! olha renato, igreja pode não salvar ninguem, mais ajuda no caminho da salvação voce não acha? eu aposto que sua mãe se converteu porque voce enxeu a cabeça dela de abrobinha das inumeras igrejas que voce passou, as perguntas que voce fez a marcos ai acima, não se debate mais pois o blog esta cheio de resposta é só conferir.

  5. Quero deixar claro que não pertencí a todas aquelas denominações citadas anteriormente. Apenas as citei como exemplos de denominações cristãs que pregam o verdadeiro evangelho de Cristo.
    Como Jesus fundaria uma igreja que iria de encontro aos seus ensinamentos?? Como é o caso da igreja católica romana. Me mostre na bíblia católica um único versículo onde Jesus se refere a Maria como “Mãe”. Esta idolatria a Maria não tem base bíblica. Portanto esta é uma prova de que a igreja romana está fundamentada em ensinamentos de homens. As tradições se transformaram em maldições. E muitas pessoas estão morrendo sem salvação, porque só em Jesus somos salvos.
    Hoje não tenho mais dúvidas, elas ficaram no passado. Porque a verdade está na bíblia e a verdade é Jesus Cristo. Veja o que Jesus disse:

    “Sejam meus seguidores e aprendam comigo porque sou manso e tenho um coração humilde; e vocês encontrarão descanso.”( Mateus 11:29)

    Você tem certeza de que no dia do juízo você será salvo?

    “A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo.”
    Romanos 10:9

    Jesus te ama e quer salvar sua vida!!

    • Caro Renato, voce entra em contradição novamente, falou que pertence a igreja que segue os encinamento biblico, mais qual igreja? todas as igrejas citadas por voce mais as batistas acima tem doutrinas diferente sera que JESUS era dividido! pode ser que Jesus não direcinou a Maria como Mãe mais todos os atos de Jesus com ela era mesmo de uma pessoa conciente de que tinha uma mãe todos os santos que falam na biblia os dizem e até a iguala com Jesus
      pesso que fassa um estudo minucioso neste blog e voce ira encontra o siguinificado de adorar, idolatrar e venerar pra depois não sair falando que nos catolico fazemos idolatria a alguem, ninguem tem certeza da salvação apenas a buscamos como manda o proprio Jesus: sejais santos como vosso pai é santo o julgamento só a Deus pertence voce tá se alto proclamando salvo sera? fassa um exame de conciencia e reveja seus comentários

      • Prezado Adeilton,
        Apesar das diferentes denominações evangélicas, todas pregam que só em Jesus seremos salvos. Se você confessar com sua boca que Jesus é o seu Senhor e Salvador você será salvo . Isso é a palavra de Deus que diz, não sou eu. “A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo.”
        Romanos 10:9
        Não é porque merecemos ser salvos. “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;” Romanos 3:23
        Não é pelas obras também. “Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada.” Gálatas 2:16
        Somos salvos pela graça de Deus, pela fé em Jesus. “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.” Efésios 2:8
        Portanto meu amigo, se você tem a Jesus como seu único, exclusivo e suficiente salvador, você tem a vida eterna. Mas se você não confessa a Jesus como seu salvador, você já está condenado. “Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.” João 3:18
        Nós não sabemos o dia de amanhã. Entregue sua vida pra Jesus. Só o nome de Jesus é que tem poder. Só Ele morreu na cruz pra te salvar.

        “Entrega o teu caminho ao SENHOR; confia nele, e ele o fará.” Salmos 37:5

        Jesus ama você!!


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: