Publicado por: marcospauloteixeira | Janeiro 27, 2012

A Verdadeira Juventude Católica guarda a Ortodoxia da Fé

A Verdadeira Juventude Católica guarda a Ortodoxia da Fé

Por Marcos Paulo Teixeira

Todos já sabem o que penso da Pastoral da Juventude. A bandeira, os cantos, as roupas, a liturgia… tudo puxa para o lado do esquerdismo “católico”. Paradoxo, pois a Igreja já condenou o comunismo há muito tempo (só os teólogos brasileiros que não sabem disso), logo não há esquerdismo católico.

Só para refrescar a memória:

PAPA PIO IX:

“E, apoiando-se nos funestíssimos erros do comunismo e do socialismo, asseguram que a “sociedade doméstica tem sua razão de ser somente no direito civil” (Quanta Cura, 5).

PAPA PIO X:

“Se [Cristo] chamou junto de si, para os consolar, os aflitos e os sofredores, não foi para lhes pregar o anseio de uma igualdade quimérica” (Notre Charge Apostolique n. 38).

JOÃO PAULO II:

“Nesta luta contra um tal sistema (o capitalismo selvagem) não se veja, como modelo alternativo, o sistema socialista, que, de fato, não passa de um capitalismo de estado, mas uma sociedade do trabalho livre, da empresa e da participação” (no. 35)  (Enc. Centesimus Annus, tópico 30 da ed. Paulinas)

BENTO XVI

Os teólogos da libertação sublinham com força, diante do “falso universalismo”, a parcialidade e o caráter partidário da opção cristã; tomar partido é, segundo eles, requisito fundamental de uma correta hermenêutica dos testemunhos bíblicos.  (Discurso do Cardeal Joseph Ratzinger (18.03.1984), intitulado “Eu vos explico a Teologia da Libertação”)

A Pastoral da Juventude é como o lado jovem das CEBs (Comunidades Eclesiais de Base), que continuam a levar adiante uma teologia que não condiz com a tradição católica.

Ao abrir o site da PJ, li um texto de Dom Canísio Klaus do Rio Grande do Sul.

O texto traz como título “Juventude: muita reza, muita luta e muita festa!”

Não vou comentar todo o texto, quem quiser confira em http://www.pj.org.br/artigos.php?op=ExibeArtigo&idArt=12

Porém, gostaria de sublinhar esse parágrafo:

“Diferentemente do que ordinariamente se diz, a juventude reza. Ela não gosta de rezar do jeito dos adultos. Também não quer mais rezar do jeito das crianças. Mas os jovens procuram a oração. Eles recorrem à oração diante de desafios a serem enfrentados. Rezam sem muitos formulismos e são ecléticos. Se valem de elementos de várias religiões, sem se preocuparem com a ortodoxia da fé. Quando rezam em grupos, reúnem, sem nenhum escrúpulo, elementos das religiões orientais, cristãs, africanas e indígenas.”

Em primeiro lugar essa frase não vale para os demais movimentos jovens da Igreja. A juventude fiel à tradição Católica tem a oração como prática comum e cotidiana das suas vidas. Não há preocupação de não parecer com os adultos, porque as práticas devocionais são para todos. São para os jovens a adoração ao Santíssimo Sacramento, as via-sacras, o Santo Terço, o Ofício da Imaculada Conceição etc… nós fazemos tudo isso como jovens que somos.

Falando por mim, apenas quando participava dos encontros da PJ em Maceió não me sentia católico. Rezávamos como os índios, como africanos e como sei lá o quê. Como o Bispo bem falou aí no texto, é isso que acontece em tais encontros. Há um verdadeiro sincretismo religioso em nome de um ecumenismo mal interpretado, baseado numa visão modernista do Vaticano II. 

Como já falei antes, não há problemas no texto do Concílio Vaticano II, o problema são essas pessoas mal intencionadas que acham que podem fazer com o concílio o mesmo que os protestantes fazem com a Bíblia, interpretam segundo as suas necessidades.

Senhor Bispo, a verdadeira juventude católica tem escrúpulo sim… não precisamos de elementos de outros religiões para fazer valer a nossa fé. 

Para nós a verdade é imutável e a Tradição católica fundamental. Sabemos que o Catolicismo é uma religião revelada e que a verdade é uma só. Cristo só fundou uma Igreja e precisamos levar os valores da doutrina de Cristo para o mundo, e não o inverso.

Nós nos preocupamos SIM com a ortodoxia da fé!


Responses

  1. Por isso digo que só me converti quando saí da PJ – ela mesmo não se sustentou e acabou no meu bairro. Daí então conheci o Catecismo, aprendi a ler a Bíblia sem o martelo e a foice na mão; fiquei sabendo que tenho um santo pastor: o Papa! Enfim, já enxergo a noiva do Senhor, a Igreja!

    • ok eu também

  2. Pensava que era só eu,mas vejo que não.Mas o pior é que a Igreja apoia muito do que a PJ faz.

    • Não diga “A Igreja apóia”. O que existe são padres e bispos desobedientes que apoiam esse pessoal. Mas a doutrina da Igreja é clara quanto a Teologia da Libertação.

  3. Os loucos e revoltados,inquisitores de se lá qual sé se multiplicam com textos e depoimentos de “bons pastores”..pura ilusão. A sua visão é fora de qualquer contexto de religiosidade e de Fè. Vc me faz lembrar qdo leio seu texto daqueles/as perseguidores de Cristo. Acho até que vc estava lá e preferiu Barrabás!
    Avance por conhecimentos que lhe façam repensar nas causas da libertação do reino de DEUS. Na angústia da trindade Santa pela libertação do povo oprimido.
    #FicaaDica!

    • Cicho Chuva… só faltou terminar o seu texto com uma frase de Leonardo Boff ou Che!
      Aqui não meu amigo, aqui não há espaço para socialismo fantasiado de cristianismo!

  4. Conheço a Pj e sei que o que foi dito é verdade!!!! “Juventude: muita reza, muita luta e muita festa!” Não vejo isso não!!!!! Vejo muita festa, sexo e álcool!!!!! E ainda usam o termo: “Celebrar a vida” para serem enigmáticos!!!!!

    • verdade!!!!! quando eu participava de uma paroquia é fui em um retiro da pj e no ultimo dia fique aterorizado, tinha alcool e a festa era homem se vertindo de mulher e mulher de homem, pense numa locura nem parecia que tiamos saido da santa missa !!!!!!! rezo muito por esse movimento da igreja, é isso aí galera temos que rezar por eles

  5. Em verdade posso manifestar aqui um sentimento de tristeza. Em ver um CRISTÃO católico a se preocupar em criticar, acabar e denigrir a imagem de uma Pastoral Fundamental ( E que se assim não fosse Marcos a igreja já teria poderes suficientes na graça para banir a sua existência) onde este mesmo se diz Católico, que na integra deve também pregar a unidade dos cristãos, irmandade e a caridade. E na hipocrisia prefere em vez de evangelizar( sair do seu quadrado, olhando as diversas realidades da juventude, a sua vida, os seus sofrimentos que não somente está em nossa igreja) A ficar fazendo criticas que outrora é também politica partidária de um movimento que se diz dono do espirito santo, que reza também diferente na oração em línguas, que acolhe com tão eficácia a participação tão somente do movimento, e deixa de assumir a responsabilidade que a igreja assume (sobretudo com os pobres, os afastados e os excluídos) Bento VXI….Para tanto ainda é preciso te dizer você é nosso irmão em Cristo Jesus de Nazaré, que saiu da cruz em sinal de ressurreição e libertação do seu povo; contra toda tipo de religião, e ato que traz alienação, demagogia, hipocrisia e preferências como a de ser dono do reino dos céus. O nosso Deus é o que se encarnou no meio de nós e pediu para que sejamos como ele com justiça social( quem sabe socialista de verdade) e nos ensinou uma oração simples ecumênica e universal a do PAI NOSSO. Sem alienação, sem mão no coração, sem fechar os olhos e sobretudo de amor a DEUS… Sou pjoteiro com muito orgulho e amo a PJ, porque é profetismo e tem apoio da maioria do CLERO no Brasil,no mundo e se a igreja estivesse que acabar com alguma pastoral seria o CISMA que surgiu a somente 4 décadas. ..

    • Vamos a resposta!
      Ora, um cristão não pode criticar o que está claramente errado? Outra coisa, essa crítica é apenas minha? Não, meu amigo!
      Ou vc não sabia que a Igreja já condenou o comunismo e a Teologia da Libertação há muito tempo?

      Só pra refrescar sua memória:
      Quanta Cura (8 de dezembro de 1864), sobre o comunismo, o socialismo e o protestantismo
      Quod Apostolici Muneris (28 de dezembro de 1878), sobre o socialismo
      Rerum Novarum (15 de maio de 1891), sobre a condição dos operários
      Sacro vergente anno (7 de julho de 1952), sobre a consagração da Rússia ao Imaculado Coração de Maria
      Cupimus imprimis (18 de janeiro de 1952), sobre a Igreja Católica na China
      Decreto contra o comunismo

      Só para ficar mais claro ainda: leia “EU VOS EXPLICO A TEOLOGIA DA LIBERTAÇÃO”, do Papa Bento XVI. http://www.4shared.com/office/7FSNeOr8/eu_vos_explico_e_a_teologia_da.html

      Continuando… a pastoral da Juventude é fundamental? Pode ser pra vc, pois o que ela contribui para evangelização da juventude? Seja sincero cara, só há politização na PJ. E mais, de esquerda! Agora, se a Igreja ainda não acabou com ela é porque a maior parte dos nossos bispos e padres foram formados em seminários onde a TL foi forte durante muito tempo, mas esse não é o desejo da Santa Sé. Não é desejo do Papa ter um juventude comprometida com o socialismo. Estou errado?

      Gil, pregar a Unidade é o que eu estou fazendo. A unidade ao Papa! Unidade não significa aceitar as heresias em nome desse pseudo-ecumenismo pregado no Brasil. Não! Unidade apenas à sã doutrina!

      Vc escreceu que eu sou hipócrita. Por quê? Por não aceitar uma teologia morta e herege? Por não aceitar uma teologia CONDENADA pela Igreja? Cara, vc precisa diferenciar a Doutrina social da Igreja de socialismo.

      Em um de seus parágrafos, vc fala como se eu falasse em nome da RCC. Ora, eu nem participo da RCC. E o que tem a ver o Espírito Santo no meio? Se vc acha que a RCC é muitas vezes alheia as pobres, isso eu também acho. Mas ela não peca em se filiar ao comunismo como a PJ faz.

      Ao continuar lendo o seu texto encontrei essa pérola: “Para tanto ainda é preciso te dizer você é nosso irmão em Cristo Jesus de Nazaré, que saiu da cruz em sinal de ressurreição e libertação do seu povo; contra toda tipo de religião, e ato que traz alienação, demagogia, hipocrisia e preferências como a de ser dono do reino dos céus.”

      Ora, caro Gil, Jesus ao Ressuscitar nos libertou de qualquer tipo de religião?
      Então pra vc a Igreja Católica não foi fundada por ele? Pra vc a Igreja não é necessária à Salvação? Pra vc os sacramentos trazidos pela Igreja não são importantes? Pra vc o catolicismo é alienação?

      Cara, ainda bem que vc não é mais seminarista!

      Você realmente acha que Jesus foi socialista?

      Ao contrário de vc que tem orgulho de ser “PJoteiro”, eu tenho orgulho de ser CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO e ser fiel ao Papa e ao Sagrado depósito da fé.

      Fique a vontade pra dizer que eu estou errado, mas por favor, mostre-me textos oficiais da Igreja apoiando o socialismo, e não o que vc e os teólogos da libertação acham o que seja a verdade.

  6. e esse sujeito era seminarista???? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk não duvido que tenha aprendido boa parte do lixo que escreveu no seminário!!!

  7. Cada vez que vejo estas manifestações eu me entristeço, pois vejo que OS VERDADEIROS (HIPÓCRITAS) CRISTÃOS INSISTEM EM NÃO POR EM PÁTICA O DESEJO DE JESUS CRISTO QUE É VIVER A UNIDADE. Aconselho você meu querido irmão e verdadeiro cristão a se aprofundar um pouco mais nos textos dos evangelhos para abrir sua mente e entender o que é seguir Jesus Cristo dando testemunho e não contra-estemunho. Isso mesmo, você está dando um contra testemunho, pois essa sua colocação em nada serve para o crescimento do Reino de Deus e ninguem que ainda não seja cristão, vai passar a ser por cuasa da sua posição”pregação” neste blog.Veja este texto do evangelho de Mc 9, 38-50. Nele os discípulos de Jesus proibiram a atuação de um homem que expulsava demônios em Seu nome, porque ele não pertencia ao grupo de discípulos do Mestre. Ao comentar com Jesus o que haviam feito, Ele os adverte, demonstrando que a experiência de Deus não era exclusiva daqueles que O seguiam.

    A advertência de Jesus demonstra que há uma grande diferença entre estar perto Dele e fazer uma real experiência de Deus. Atualizando a mensagem evangélica, podemos entender que há uma grande distância entre o prestar o culto ou cumprir os preceitos da Igreja e encontrar Deus e viver como um verdadeiro cristão. Experimentar Deus nos capacita a fazer milagres – não só a libertação dos males físicos, mas também daqueles da alma; nos faz testemunhar com alegria a vida em comunhão com o Senhor.

    Como, então, diferenciar aquilo ou aquele que está ou não a favor de Cristo? È o próprio relato do Evangelho que oferecerá as pistas. Jesus continua dizendo: se você receber um copo d’água porque foi reconhecido por ser de Cristo, seu testemunho já foi válido e você tocou alguém que também receberá a sua recompensa. Mas, se alguém for causa de escândalo para aqueles que acreditam, perder-se-á.

    Ora, como reconhecer o que pode ou não ser causa de escândalo? Jesus fala: “para aqueles que crêem”, ensejando que aqueles que acreditam são capazes de reconhecê-Lo no próximo seja através de suas palavras, seja através de suas ações ou frutos delas. Quais os frutos daquele que segue Jesus? A paz, a harmonia, a união, a comunhão… enfim, o que vem de Deus não nos escandaliza, não nos causa dor, não dissemina a discórdia ou o sofrimento. Portanto, podemos reconhecer a ação dos verdadeiros discípulos de Jesus, na medida em que conseguimos ler nas linhas da vida o caminho do bem, da construção da justiça, da promoção humana. E isso pode ser construído não somente por aqueles que estão próximos à palavra de Deus no cumprimento dos preceitos religiosos, mas também por aqueles que “não pertencem ao grupo” ou não necessariamente seguem a mesma religião.

    A mensagem de Jesus é uma mensagem universal, que atinge a todos porque fala daquilo que vai no coração do homem e que se concretiza em seus maiores desejos e inquietações: o sentido da vida, a relação com o outro, a ética, os valores que promovem o bem comum, a justiça… e isso não é patrimônio exclusivo de um ou outro grupo.

    Contudo, estejamos atentos aos frutos: o homem que expulsava demônios em nome de Jesus produzia um fruto bom e Jesus soube reconhecê-Lo, advertindo que não agia contra Sua mensagem. Porém, sabemos que muitas vezes os frutos maus se encobrem com folhagens bonitas… Por isso, a necessidade de uma constante vigilância, de uma vida intensa de oração para que no íntimo de nossos corações possamos reconhecer: É o Senhor!

    A sua posição nos faz relembrar o período em que a igreja na sua fraqueza usou de intolerância para com aqueles que não pensavam como ela, mas que, recenemente reconheceu humildemente o seu erro e veio a público pedi perdão ao mundo inteiro por suas falhas. Aproveite e faça o mesmo, peça perdão por essas palavras de ofensas e discriminação aos nossos irmãos e irmãs pejoteiros que são filhos de Deus assim como você, eu que também têm a graça de ter um Cristo que por amor derramou seu sangue por eles também, quer voce queira quer não. Como padre eu vou rezar na sua intenção e pedir a cura para o seu coração para que assim você possa ver nestes irmãos o próprio Jesus Cristo. E lembre-se de uma coisa, a Igreja sempre foi prudente nas suas decisões, e se a PJ está até hoje na igreja é por a própria igreja reconhece o seu valor e a sua contribuição para o Reino de Deus. Tenha amor no seu coração, acolha a todos pois todos nós pertencemos ao mesmo Cristo que quer a nossa salvação. Assim seja!

  8. A expressão “teologia da libertação” O genitivo que aparece na expressão citada – DA LIBERTAÇÃO -, mostra-nos que a libertação é o horizonte regulador do discurso acerca de Deus, e, ao mesmo tempo, mostra-nos que o Deus do discurso é fonte de libertação. Esta se manifesta concretamente nos diversos momentos do processo histórico de um povo. Conseqüentemente, a teologia da libertação torna-se força geradora de ações que viabilizam uma práxis libertadora, segundo as necessidades advindas das diversas circunstâncias sob as quais um povo está submetido.
    “A teologia da libertação é um movimento teológico que quer mostrar aos cristãos que a fé deve ser vivida numa práxis libertadora e que ela pode contribuir para tornar esta práxis mais autenticamente libertadora” (MONDIN, 1980, p. 25). Acho interessante uma pessoa que se diz entender tanto a igreja católica, fazer um texto nesse sentido, graças a pessoas como você temos jovens sendo explorados, se perdendo no mundo das drogas, pessoas que pregam uma igreja e uma religião arcaica e impositora, com pensamentos pequenos e alienados, fazemos politica sim, porque felizmente temos consciência que ser igreja e ser cristão não é só ficar no pé do altar fazendo adoração.

    • Mt bem Jaqueline….Mt triste essa hipocrisia. Pena que nem direito de resposta temos, esse rapaz nao aceita os comentario.ja mandei varios ele nao aceita.quem cala concente.

      • Irailde, direito de resposta? Tem sim!
        E qual foi o post que vc mandou q eu não publiquei?
        O que escrevi aqui é CATOLICISMO. É por isso que vcs estão com raiva, porque a doutrina Católica difere do que é pregado no meio da Teologia da Libertação.

        Agora, se vc quiser pode mostrar o seu lado da história. Mostre-me que a Igreja está errada e que vcs, Leonardo Boff, frei Betto, etc estão certos.

        Se vc realmente conhecer o que é a TL, a gente pode debater. Agora se for um daqueles que Lennin chamou de “idiotas necessários”, então é melhor parar por aqui.

  9. Não basta fechar os olhos e rezar. É preciso acordar e salvar a juventude que esta sendo destruída todos os dias… Fico mt triste cm tanta hipocrisia. Cada um reza do seu jeito. Temos sim nossas marcas, nossa lutas, simplicidade e vontade de vencer. Jesus Cristo veio para todos, principalmente para os que estão doentes, famintos da misericórdia de Deus; a juventude esta “doente” ,precisando de cuidados e AÇÃO.Cabe aos que se diz católico apostólico romano: LUTARMOS JUNTOS PELA VIDA, e não usar a mídia para difamar e denegrir a forma de rezar ou de viver que a PJ tem.#sou pjoteiro cm orgulho

  10. Nada haver q esse “Bloguero” diz… não devemos nos preocupar com suas palavras, que ofende mais uma jeito de ser igreja do que levar “segundo ele ” sua forma pura de viver a fé.

    • Luclécio… por que nada a ver? Isso é novo pra vc?
      Nunca leu nada sobre isso não? Nunca leu Bento XVI não?

      Se vc ler o texto com atenção verás que não tem ofensa, mas simplesmente a informação de que a PJ nas mãos dos marxistas está indo para o lado errado.

      Se vc preferir, pode ignorar o que a Igreja realmente pensa da TL e seguir sua vida na PJ, como se diz né, “com muito orgulho”.

  11. Caro Marcos Paulo, não vou entrar em debate com você porque sou apenas uma leiga praticante da igreja católica. O que posso dizer é que sei bem que nossa missão nesta terra é fazer o bem ao próximo, e juntos lutarmos por dias melhores. Você estaria contribuindo muito mais para os projetos de Deus se usasse esse espaço para sugerir e contribuir com soluções necessárias a nossa juventude. Afinal o que é pastoral de comunhão? Acho que temos coisas mais importantes a fazer que ficarmos discutido aqui pra saber quem entende mais de teologia. Sou a favor da unidade entre os povos, do RESPEITO e da HUMILDADE. Não estamos com raiva, estamos sim defendendo nossa luta.

    • Olá Irailde, eu também sou apenas um leigo da Igreja Católica.
      A nossa missão nessa Terra é evangelizar e fazer o bem ao próximo é consequência da nossa essência.

      Lutar por dias melhores significa aceitar o comunismo? Será que em Cuba, Coréia do Norte etc, estão vivendo dias melhores?
      Não seria o comunismo opressor nesses países?

      Te convido a estudar e a conhecer a doutrina social da Igreja, que é totalmente diferente do socialismo. O socialismo é mau, é opressor, totalitário e ateu.
      Veja no que se transformou o PT!

      A questão não é discutir para saber quem entende mais de teologia, não foi isso que te propus. A minha sugestão foi, como católicos que somos, debater sobre o que a Igreja realmente ensina.

      Eu também sou a favor da Unidade em torno da Verdade e não em torno da mentira.

  12. Juventude Linda de Jesus Amado,
    Permitam que Jesus Cristo passe barro com cuspi em seus olhos, para que vocês possam enxergar os milhões de jovens que necessitam de ÁGUA VIVA, da BOA NOVA, somos povo da PÁSCOA, precisamos evangelizar, Deus que é PAI, FILHO E ESPÍRITO SANTO conta com a gente, parem de perder tempo fazendo das nossas diferenças espinhos que nos ferem e nos dividi ( a divisão é coisa do diabo), a comunhão é de DEUS. Se quiserem ficar por aí brigando, beleza, eu vou evangelizar, porque ai de mim se eu não disser a verdade que ouvi, ai de mim se eu me calar quando Deus me mandar falar. Fiquem na paz do NOSSO DEUS DE AMOR E DA UNIDADE.
    Hildete Emanuele
    Secretária Nacional da PJ – jan/2008 a jan/2011

    • Olá Hildete, seu discurso de pacifismo é relativista.
      Deveremos ser coniventes com erro em nome da unidade?

      Para nós Católicos, só existe unidade ao Papa e sã doutrina.

  13. Ilustríssimo Marcos Paulo, Dr da Lei e dos Documentos Oficiais da IGREJA. Guardião da Doutrina do Bento XVI…tenhais obediência.

    “Não julgueis, e não sereis julgado..”
    Não condenes para não ser condenado.
    Não aponte para não ser apontado.

    Ou achas que terás julgamento diferenciado quando estires aos pés do Senhor. Caso chegue lá.

    Serás julagado a ferro fogo.

    Seja livre pela fé e não pelo conhecimento teórico.

    • Caro Chico Chuva, não teria sentido eu falar em documentos da Igreja se você fosse protestante. É isso? Mas se vc se diz católico, por que rejeitar o ensinamento da Igreja.

      Parece que estou falando coisa de outro mundo. Ora, o que estou falando não fui que criei. É doutrina da Igreja. Então por que essa raiva toda?

      A pastoral da Juventude estaria cumprindo sua missão cristã se não seguisse a Teologia da Libertação.

      Então, aproveitando o momento vou relembrar alguns pontos de um post já antigo aqui no blog… Quais seriam os erros da Teologia da Libertação?

      Para a TL, a Doutrina da Igreja não interessa, assim como não interessa o céu. Interessa sim a organização de movimentos populares para lutar por reivindicações puramente materiais: terras (como o MST), aumentos salariais, etc.
      Vejamos portanto quais são as principais diferenças entre a Doutrina Cristã e a ideologia da TL:

      1 – a) Pela Doutrina Cristã, sabemos que o homem tende ao mal devido às conseqüências do Pecado Original. É mais fácil fazer o mal que o bem, e assim os vícios devem ser combatidos e as virtudes incentivadas.
      b) Para a TL, o homem é naturalmente bom, mas a organização social “opressora” é má e deve ser combatida.

      2 – a) Pela Doutrina Cristã, sabemos que é pela Graça de Deus, infundida e aumentada pelos Sacramentos, que podemos fazer o bem.
      b) Para a TL, a graça de Deus é apenas uma expressão, e os Sacramentos são apenas símbolos – a Eucaristia é símbolo da partilha do pão material, o Batismo é símbolo de compromisso com a causa da Revolução comunista, etc.

      3 – a) Pela Doutrina Cristã, sabemos que somos chamados à Santidade, ou seja, à libertação do pecado, de que só gozaremos em plenitude no Céu após a nossa morte e na Terra após a nossa ressurreição.
      b) Para a TL, “Libertação” significa a obtenção de condições materiais adequadas na terra através de reivindicações políticas: terra, casa própria, sistemas sanitários, etc.

      4 – a) Pela Doutrina Cristã, sabemos que a propriedade particular é uma coisa boa e querida por Deus; é perigoso o apego aos bens materiais, mas ser rico não é pecaminoso.
      b) Para a TL, a propriedade particular é uma abominação, o único pecado existente. O apego aos bens materiais – terra, casa, etc. – porém, é visto por eles como um bem. O objetivo do homem, para eles, é justamente lutar por bens materiais.

      5 – a) Pela Doutrina Cristã, sabemos que a Hierarquia da Igreja é instituída e mantida por Deus.
      b) Para a TL a existência da Hierarquia é sinal de um roubo de poder que deveria pertencer ao “Povo”. É por isso que nas dioceses ainda em poder da TL, não são incentivadas as vocações sacerdotais e as paróquias são substituídas por comunidades dirigidas por leigos.

      6 – a) Pela Doutrina Cristã, sabemos que é essencial conhecer e seguir a Verdade para podermos chegar à Santidade.
      b) Para a TL qualquer pessoa que “lute contra a opressão”, ou seja, que participe da subversão comunista, é um modelo a ser seguido, ao passo que, por exemplo, um Santo que tenha se dedicado apenas à oração é um exemplo do que deve ser evitado. Assim Che Guevara, Fidel Castro e outros comunistas são considerados por eles como modelos a seguir, enquanto Santa Terezinha do Menino Jesus é para eles um exemplo de vida inútil.

      7 – a) Pela Doutrina Cristã, sabemos que a oração é de suma importância, e a alma, por ser imortal, deve ser cuidado com mais cuidado que o corpo, evitando-se o pecado e buscando-se a Virtude.
      b) Para a TL, a alma não importa, a oração é vista apenas como uma preparação para a ação política e o pecado pessoal não existe. Não há problema em roubar, mentir, cometer adultério, matar até. O único pecado seria o pecado social, ou seja: ter bens materiais em quantidade maior que outras pessoas. Assim, para a TL, todo pobre é santo e todo rico é bandido.

      Então, meu irmão, negar isso é negar o Catolicismo. Não se engane!

  14. Em verdade esse livro ao qual faz as devidas analogias deve ter como autor Marcos Paulo Teixeira..porque a convicção destas falas talvez der um novo impulso a TDL – RENOVADA…só pode…é incrivél o seguimento alienado a uma estrutura…como isso toma conta de uma pessoa a ponto de ser cristão e ter que viver em causa da estrutura..Deus instituiu a igreja por seu Filho e assim na Trindade…nesta ele fundamentou a vida em abundância e a igualdade perante os povos..tb DOCUMENTADA na igreja…ver vc a chamar um outro de “idiota”. muito me supreende pq o nosso irmão Jesus na caridade diz que nunca chame um de seus semelhantes de idiota?… Há mais vc pode…e só para recordar além da TDL nós PJOTEIROS temos uma “Mar” de histórias em prol da causa e da vida da juventude e no entando vcs nos caracterizou pelo lado”…” TDL que muitos dos nossos tb não concordam, mais que por sermos democráticos, aceitamos as diferenças..Outrora que também é pontuada dentro de um novo contexto de sociedade, mostrando a todos que talvez a TDL tenha alcançado com eficácia o seu objetivo, em uma época de grande repercusão e que ainda poderia ser vivênciada no atual contexto para combater as doutrinas de ALIENAÇÃO, da qual eu acho que alguns se identificam de forma bem particular(pois agora vejo que neste contexto a fala é individual e o movimento, nada tem a ver. embora tenha todas as práticas reafirmadas em minha colocação inicial) ..Contudo vc é um nome para sentar com os defensores da TDL em bancada pq vc colocará neles um novo impulso para acrescimos e defesas do que já defendem e talvez agora com novas tedências contra tipos de alienações…

    • Olá Gil,

      qual foi livro que escrevi?

      Me responda também o que é “SEGUIMENTO ALIENADO A UMA ESTRUTURA”.

      Em relação ao termo idiota, realmente vc não compreendeu a comparação que fiz.

      Lênin, ao se referir àqueles que, no ocidente capitalista e democrático, eram manipulados e cooptados pelos agentes comunistas infiltrados em todas as esferas da sociedade, usou o termo “idiotas úteis”, ou “idiotas necessários”. E assim que muitos que não conhecem o socialismo, mas gosta da causa e se comportam exatamente como Lênin previu.

      Agora, se analogias, eu fui xingado aqui como hipócrita, alienado, inquisitor etc… isso pode, né?

      Não nego a história da PJ, mas apenas estou lembrando que vocês seguem uma teologia herética e já condenada pela Igreja. Isso é fato! Ou não é?
      Advogo que a PJ cumpriria uma missão puramente cristão se seguisse o Catecismo da Igreja, obedecesse ao Papa e deixasse pra lá o comunismo e a Teologia da Libertação.
      E o que ficaria no lugar? Ora, a Doutrina Social da Igreja!

      Gil, meu caro. Cuidado com o termo democracia. O que vale na Igreja é a comunhão.
      Nem sempre a democracia é boa.
      Vou te dar um exemplo:
      Não sei se vc chegou a estudar teologia no seminário, mas talvez conheça a história do concílio de Nicéia, onde a maioria dos bispos e presbíteros eram arianos. Então, será que se na Igreja a maioria é a vontade de Deus, não seríamos todos nós hj arianos?
      Outra coisa, a maioria dos católicos são a favor do aborto em caso de estupro, então por causa desse fato, deve a Igreja ser democrática a ponto de liberar o aborto em caso de estupro?

      Outra coisa, o diálogo ecumênico da Igreja não exclui a fé do outro, porém não devemos perder a convicção de que a fé Católica é única verdadeira.

      Agora Gil, me responda com sinceridade. Devemos seguir os ensinamentos do PAPA?
      Lembre que quando Bento XVI continua condenando a Teologia da Libertação.

      Veja o que Disse Bento XVI aos bispos da Regional Sul 3 e 4:
      Neste sentido, amados Irmãos, vale a pena lembrar que em agosto passado, completou 25 anos a Instrução Libertatis nuntius da Congregação da Doutrina da Fé, sobre alguns aspectos da teologia da libertação, nela sublinhando o perigo que comportava a assunção acrítica, feita por alguns teólogos de teses e metodologias provenientes do marxismo. As suas seqüelas mais ou menos visíveis feitas de rebelião, divisão, dissenso, ofensa, anarquia fazem-se sentir ainda, criando nas vossas comunidades diocesanas grande sofrimento e grave perda de forças vivas.

      Veja agora João Paulo II: Suplico a quantos de algum modo se sentiram atraídos, envolvidos e atingidos no seu íntimo por certos princípios enganadores da teologia da libertação, que se confrontem novamente com a referida Instrução, acolhendo a luz benigna que a mesma oferece de mão estendida; a todos recordo que «a regra suprema da fé [da Igreja] provém efetivamente da unidade que o Espírito estabeleceu entre a Sagrada Tradição, a Sagrada Escritura e o Magistério da Igreja, numa reciprocidade tal que os três não podem subsistir de maneira independente» (João Paulo II, Enc. Fides et ratio, 55).

      Então Gil, será que o amor pela Teologia da Libertação é maior que o seu amor pela Igreja? Por que teimar em não seguir o que ensina os santos pastores?

      Vc escreveu “ainda poderia ser vivênciada no atual contexto para combater as doutrinas de ALIENAÇÃO”. Será que tal doutrina pode ser vivenciada ainda hj mesmo sendo contra a Doutrina Católica?
      Seria doutrina Católica tradicional a doutrina de Alienação que vc fala?

      Aguardo resposta!

  15. Diác. Francidilso Silva
    Assessor Diocesano PJ – Picos

    Olá galera! Tudo bem? Bom, acredito que a proposta deste texto não é nova, nem tão pouco tragar grandes novidades, porém creio que auxiliará a aprofundar nossa maneira de ser e agir enquanto Pastoral da Juventude. Afinal, devemos compreender: porque mesmo falar de Pastoral da Juventude? Quais os vários níveis de identidade que podemos alcançar dentro dessa pastoral?
    Bem, parece algo muito conhecido, mas suponhamos que alguém chegasse e lhe perguntasse: Ei, você poderia me explicar o que é Pastoral da Juventude? E, quais os objetivos que ela se propõem alcançar? E ai, como você se sairia dessa?
    Muito bem, vamos então começar a explicar o que significa pastoral. Pastoral é um termo que deriva de Pastor, e isso nos remete ao texto de Jo 10,10: “Eu sou o Bom Pastor.” Nesse sentido, a Igreja, enquanto atualizadora e dispensadora dos mistérios de Cristo no mundo, é aquela realidade que assume a missão de pastorear os homens no cotidiano da vida. Assim, “Pastoral é toda atividade da Igreja enquanto Igreja.”[1]
    Diante da conceituação muito rápida de pastoral podemos entender que a pastoral é a vida da própria da Igreja e onde ela se descobre e se edifica. Para tanto, é necessário um olhar muito atualizado frente os desafios que assolam os espaços de presença transformadora para reconhecer os rostos dos irmãos fragilizados e excluídos da sociedade.
    É isso que a Pastoral da Juventude tem como desafio: buscar respostas para diminuir as realidades que massacram os jovens e ser presença transformadora através de ações que valorize a pessoa em sua totalidade. Essas ações terão maior eficácia se os jovens assumirem integralmente esse processo de evangelização. Afinal, é uma ação de jovem para jovem.
    Além disso, a Pastoral da Juventude deve entende-se como ação da Igreja que possui uma única finalidade, e porque não dizer a principal, fazer os jovens “descobrir, assimilar e comprometer-se com a Pessoa de Jesus Cristo e com a sua mensagem.”[2]

    Como texto inspirador a PJ assume as palavras de Lucas (4, 18-22), no qual Jesus mostra seu roteiro de atuação transformadora.[3] Assim, a PJ é consciente que deve anunciar e testemunhar o Reino de Deus, motivada pela proposta libertadora de Jesus Cristo, construindo assim a “civilização do Amor”.
    É importante nesse processo de vivência da mensagem evangélica o cuidado de compreender a integralidade da pessoa, assumida pelo Cristo e acolhida pela PJ. Esse processo de formação integral do homem e da mulher está delineado nas opções pedagógicas abraçadas pela Pastoral da Juventude, que são:

    A importância fundamental do grupo de jovens, a formação integral, a memória, o trabalho diferenciado com os diversos tipos de jovens, a organização, a presença do acompanhamento e da assessoria e a vocacionalidade, concretizando-se na elaboração do projeto de vida.[4]

    Para a realização do processo de formação integral é preciso realizar um caminho que é composto de cinco dimensões. Tudo isso, “para que a pessoa seja ética, democrática, comprometida, participativa; saiba amar, conviver, relacionar-se; que tenha fé, esperança e, principalmente, que seja feliz.”[5] Desse modo, temos como prioridade as seguintes dimensões: 1) personalização, momento de autoconhecimento, autocrítica e busca de autorrealização; 2) integração, momento de conhecimento do outro e superação dos bloqueios de comunicação; 3) evangelização, busca de fundamentos para nossa fé e construção de uma mística; 4) conscientização, descobri o mundo e nos fazer sujeito da história, tornando-nos capazes de analisar e participar na luta por uma sociedade mais justa e solidaria; 5) capacitação, é a etapa de nos prepararmos para planejar, executar, revisar, criar, encantar, festejar. Em todas essas dimensões é preciso assumir um espírito juvenil que mostre seu rosto belo, criativo, transformador. E, é no dia-a-dia em meio aos seus afazeres que os jovens devem trabalhar essas dimensões.[6]
    Essa nossa maneira de ser, viver e amar, contudo, visa: construir a fraternidade entre os jovens, construir a comunidade, construir a sociedade, formação para a cidadania, vivência eclesial e espiritual. Além disso, queremos jovens conscientes da missão que Deus lhes confia: “Ide, portanto, e fazei que todas as nações se tornem discípulos.” (Mt 28, 19).
    __________________________________________
    [1] GASQUES, Jerônimo. Grupos de Jovens: pode onde começar?. 6. ed. São Paulo: Paulus, 2002. p. 33.
    [2] Ibid., p. 32.
    [3] Cf. PASTORAL DA JUVENTUDE: um jeito de ser e de fazer: somos uma Igreja jovem. Brasília, 2012. p. 38.
    [4] Ibid., p. 54.
    [5] Ibid., p. 58.
    [6] Cf. Ibid., p. 58-59.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: